Cansados, mas esperançosos!

Quem já não passou nesta vida pela experiência do desânimo? De ter vontade de desistir de tudo…Simplesmente parar tudo, olhar para o tempo e dizer: não suporto mais!  É como se uma nuvem carregada de apatia pairasse sobre o teto da nossa existência.

Afinal, qual a vantagem de parar tudo? Certamente, nenhuma! O desânimo e a apatia não trazem proveito algum; antes, pelo contrário, precipitam o fim. Revelam uma alma frágil, que se prostra ante as dificuldades. Expõe, também, nossos medos e carências.

Um dos sintomas mais claros da desmotivação é a ausência de perspectivas. De tanto ouvir respostas negativas, de tanto bater em portas que não se abrem, de tanto andar em ruas sem saída, muitas pessoas acabam desistindo de lutar. Lançam um olhar cansado para um horizonte sombrio – falta-lhes esperança.

Contudo, não há porque desistir da esperança. Não existem portas eternamente fechadas. Os momentos sombrios, ainda que às vezes muito longos, não encerram toda a existência. São apenas momentos. São passagens. São oportunidades de crescimento interior. São, também, oportunidades para conhecermos a graça de Deus e reconhecermos nossa finitude.

Na verdade, todos nós estamos no “front” de uma batalha. É a luta incansável pela sobrevivência, em suas mais diferentes dimensões. É uma guerra, sem tréguas, travada contra adversários dos mais ferrenhos. São forças negativas, opressões espirituais, enfermidades no corpo e na alma. São pressões financeiras, problemas familiares, decepções amorosas e muitas outras coisas que, somadas, têm grande poder de destruição.

Todavia, a vida é assim mesmo: uma luta constante contra forças contrárias a tudo que chamamos de felicidade. Se felicidade é saúde, lutamos contra as doenças; se é um estado de paz, lutamos contra as adversidades; se é uma família unida, lutamos contra o desenlace; se é ter alguém ao nosso lado, lutamos contra a solidão; se for a experiência de amar e ser amado, lutamos contra todos os sentimentos mesquinhos que impedem o fluxo do amor no coração.

Cansados, resta-nos um consolo, uma certeza: Deus renova as nossas forças. Ele está presente na dor de cada um de nós. Sua presença é a certeza de novas perspectivas. Nossas dificuldades, quaisquer que elas sejam, nada são diante d’Ele. Quem confia em  Deus não se perde nos caminhos desta vida, e não vive à sombra da escuridão. Quem desfruta da companhia do Altíssimo sabe que já é vencedor.

Logo, diante das lutas da vida, só nos resta uma saída: não desistir; lutar um pouco mais. Quando nossas forças ameaçarem exaurir-se e o desânimo se abater sobre nós, é tempo de clamar a Deus. Como expressou muito bem o profeta Isaías: “Ele renova as forças aos que não têm nenhum vigor”. Deus é a nossa força e esperança!

Pr. Estevam Fernandes