‘Quem está forte hoje pode não estar em abril’, diz Raniery e vê alianças 'improváveis' em 2018

Por Greice Targino 16/06/2017 - 08:11 hs

O deputado estadual Raniery Paulino (PMDB), apontou que o cenário para as eleições do próximo ano ainda é obscuro e acrescentou que ‘quem hoje aparentemente está muito forte pode não estar em abril’ que é o prazo para a desincompatibilização. 
“De abril a junho muito vai acontecer”, disse e se esquivando das possíveis ou prováveis alianças que seu partido poderá fazer, citou a oposição: “Para mim não surpreende se Cássio e Ricardo voltarem a ‘tomar vinho na Granja Santana’”, disse lembrando que Cássio foi eleito senador com o voto de Ricardo Coutinho à época. 
Para Raniery, a partir de abril vai se ‘zerar o jogo’ e todos os partidos vão conversar entre si e dentro do PMDB afirmou que irá pedir que se façam alianças do ponto de vista programático e não por emprego para familiares. 
Raniery, afirmou que a instabilidade e crise política que o PMDB nacional enfrenta não atinge o partido na Paraíba e comparou o partido ao Flamengo no caso do goleiro Bruno. 
“O PMDB consegue se diferenciar (na Paraíba), nosso maior expoente é José Maranhão com uma larga história e vida pública e não tem nenhum tipo de implicação nas questões de corrupção. Quem capitaneia o PMDB da Paraíba tem dado exemplo para o Brasil”, disse. 
Além disso, o deputado comparou a situação do partido ao caso vivido pelo Flamengo: “Não vou deixar de ser flamenguista pelo crime do goleiro Bruno”, explicou e acrescentou que da mesma forma há pessoas na Assembleia que não tem coerência e não vai ser por isso que ele deixará a Casa. 
Band News Manaíra