Riauto Multimarcas

Padre é suspeito de abusar mais de 20 adolescentes em Jacaraú

0




Padre foi afastado e está impedido de celebrar missas e batismos.
Declarações mostram que ele pagava de R$ 50 a R$ 200 para jovens.

Padre

Padre Adriano José

O Ministério Público e a Polícia Civil da Paraíba investigam um padre suspeito de abusar sexualmente de mais de 20 adolescentes na Paraíba. O caso foi registrado em Jacaraú, no Litoral Norte da Paraíba.

Em outubro de 2013, o padre renunciou suas funções em um documento enviado pela Arquidiocese da Paraíba ao Ministério Público. No mesmo ofício, a Arquidiocese informa que o padre foi suspenso de suas atividades na igreja e que o caso foi comunidade à Cúria Romana. O sacerdote atuou na paróquia de Jacaraú por quatro anos, segundo a Arquidiocese da Paraíba. A Polícia Civil, que também investiga o caso, não tem informações sobre a localização do padre.

Além dele, outros três padres já foram afastados de suas funções eclesiásticas pela Arquidiocese da Paraíba por serem suspeitos de abusar sexualmente de adolescentes. De acordo com a Arquidiocese, os padres também são alvo de investigações da Polícia Civil e Ministério Público. Com o afastamento, os sacerdotes ficam impedidos de realizar celebrações como missas e batismos.

Segundo o Ministério Público, a investigação teve início há seis meses, quando adolescentes apreendidos suspeito de cometer arrombamentos comentaram com um promotor sobre o suposto aliciamento feito pelo padre.

Igreja Matriz de Jacaraú

Igreja Matriz de Jacaraú

“Nós soubemos que a casa do padre já tinha sido violada e quando esses meninos foram apreendidos, eram menores de idade, foi perguntado sobre a casa do padre. Foi aí que a coisa veio à tona. Ele disseram ‘não, a gente não furta. É o padre que nos dá. Ele nos chama para farrar, nos dá bebida alcoólica, nos paga e tem as sessões de sexo’”, explicou o promotor de Justiça de Jacaraú, Marinho Mendes.

O Ministério Público ouviu, até o momento, cinco jovens apontados como vítimas do padre, mas acredita que mais de 20 tiveram envolvimento com o investigado. “Adolescentes na faixa dos 12 aos 17 anos foram abusados. Isso confirmado, sem nenhuma dúvida. Um dos adolescente ouvidos foi crismado pelo padre e ele disse que muitos dessa turma de crismados foram abusados”, disse o promotor.

Ainda conforme informações da promotoria colhidas junto aos adolescentes, o padre dava dinheiro ou presentes para manter relações sexuais. Os abusos aconteciam dentro da própria casa paroquial, ainda segundo os depoimentos.

Declarações obtidas dão conta de que o sacerdote pagava quantias que variavam de R$ 50 a R$ 200 para manter relação sexual com os adolescentes. Um adolescente de 15 anos e um primo afirmaram que mantiveram relações sexuais com o padre investigado.

Um adolescente de 16 anos informou que o encontro na casa do padre foi marcado por meio de uma rede social. “Perguntando quantos anos eu tinha, perguntando onde eu morava. Aí eu disse que morava em tal canto e ele disse ‘outro dia eu marco contigo pelo Face’. Ele marcou no outro dia e quando eu cheguei lá já tinha um menino lá”, disse o jovem, que afirmou ter recebido R$ 22 apenas para não contar a ninguém que esteve lá.

“É uma vergonha, principalmente pra nós que participamos da igreja, o padre vir fazer uma baixaria e uma sem-vergonhice dessas”, lamentou o pai de um dos adolescentes abusados, que acompanhou as declarações do filho ao MP. O pai de outro jovem explicou que ninguém desconfiava dos abusos. “O povo, a maioria do pessoal que vai à igreja, pensa que o padre é santo”, afirmou.

“O padre fica impossibilitado de celebrar qualquer sacramento. É como se ele não tivesse, momentaneamente, a ordem do sacerdócio. E a gente quer que fique bem claro isso, que a sociedade saiba e que a gente tome as medidas que cabem à Igreja. E aqueles que forem acusados serão indiciados e aí o processo corre como com qualquer cidadão que é acusado na sociedade”, esclareceu o vigário geral, Virgílio Bezerra de Almeida.

Padre investigado por abuso em Pitimbu
Um inquérito policial foi aberto na quinta-feira (20) para apurar a denúncia de um abuso sexual cometido em 2008 por um padre da paróquia de Pitimbu, município do Litoral Sul da Paraíba. De acordo com delegado regional do Litoral Sul e responsável pela investigação, Aneílton Castro, a denúncia foi feita pela mãe da vítima, hoje com 21 anos.

Segundo depoimento prestado à polícia pelo jovem, na época do abuso ele tinha 15 anos e o padre oferecia presentes, dinheiro e convites para viagens em troca de favores sexuais. Ainda segundo a denúncia, os abusos aconteciam em motéis em cidades vizinhas à Pitimbu e na própria paróquia.

Com G1 Paraíba

#Compartilhe

Leave A Reply