Paulo Guedes, ministro da Economia, reuniu-se neste sábado (26) com o líder do governo na Câmara, o deputado Ricardo Barros (PP-PR), para debater a reforma tributária.

Ao sair do encontro, o ministro afirmou que o texto passa pelos últimos ajustes antes de ser enviado ao Congresso. “Vamos simplificar impostos e reduzir alíquotas. Criar um ambiente mais favorável para a geração de empregos com foco na desoneração da folha de pagamentos”, disse Guedes.

“Teremos para apresentar ao presidente Jair Bolsonaro um texto para ele escolher. Os líderes também poderão opinar”, afirmou Ricardo Barros, lembrando que a proposta deve passar por análise do presidente antes de ser submetida a outras opiniões e sugestões.

Imposto sobre transações digitais
As equipes discutem a criação de um imposto, nos moldes da antiga CPMF, sobre transações financeiras digitais. Esse imposto poderia substituir encargos na folha de pagamentos. Porém, na reunião, a equipe econômica reafirmou que não haverá aumento de carga tributária, já que a ideia é fazer uma compensação com a desoneração da folha de pagamento das empresas.

A equipe econômica e os parlamentares da base aliada estão procurando ajustar o texto das reformas para ganhar apoio no Congresso, pois a ideia da criação desse imposto tem enfrentado resistência por parte de deputados e senadores.

As equipes discutem também como chegar a uma alíquota ideal para esse imposto, que poderia girar em torno de 0,2%.

Via R7