Uma série de tiroteios que começou perto de uma sinagoga em Viena, capital da Áustria, matou três pessoas e deixou vários feridos nesta segunda-feira (2). Segundo a polícia local, um desses mortos era considerado suspeito. O primeiro-ministro austríaco, Sebastian Kurz, classificou a ação como um ataque terrorista.

Segundo a polícia de Viena, os tiroteios começaram por volta das 20h (horário local, 16h em Brasília) nas imediações da rua Seitenstettengasse, que abriga a sinagoga Stadttemple e fica perto de diversos bares (leia mais no fim da reportagem). Os policiais disseram, ainda, que as trocas de tiros ocorreram em seis lugares diferentes. Ainda de acordo com as autoridades locais, os criminosos estariam armados com fuzis.

O Ministério do Interior disse que ao menos uma pessoa foi presa e um dos autores está foragido.

De acordo com o prefeito Michael Ludwig, 15 feridos precisaram de atendimento em hospitais da cidade, e sete deles estão em estado grave. Ele disse ainda que, além do criminoso, uma pessoa (cujo gênero ele não identificou) morreu no local de um dos tiroteios e uma mulher faleceu em um hospital.

Não havia, até a última atualização desta reportagem, informação sobre identidade dos mortos ou das pessoas consideradas suspeitas de participação no ato terrorista. As autoridades também não descartam haver mais vítimas.

Nas redes sociais, a polícia de Viena pediu que as pessoas permanecessem em casa porque, até a noite desta segunda, a operação de busca ainda estava em andamento. O sistema público de transporte foi interrompido e não haverá aulas na terça-feira.

Em entrevista à emissora ORF, o ministro do Interior, Karl Nehammer, pediu cuidado porque os criminosos ainda procurados são perigosos e estão “fortemente armados”.

G1