Ao todo, nove estados do Nordeste, liderados pela Bahia, definiram termos de aquisição de 25 milhões de doses da vacina russa Sputnik. Resta, apenas, assinar o contrato com o Fundo Soberano Russo, que produziu e distribui o imunizante.

 

O governador da Bahia, Rui Costa (PT), não poupou críticas a Jair Bolsonaro pelo atual cenário trágico no país, em consequência do descaso do governo federal na condução do combate à pandemia.

“Precisamos da vacina para salvar o Brasil desta tragédia. O veto do presidente à medida que poderia ter resolvido o problema da burocracia da Anvisa é um absurdo. Vamos abrir mais leitos de UTI, agora no hospital de campanha da Fonte Nova, mas só a vacina nos dará a vitória”, disse Costa.

O governador da Bahia evitou críticas ao ministro da Saúde, Eduardo Pazuello. Mas reafirmou: “O responsável maior por essa tragédia é o presidente”. No entanto, o governador destacou, ainda, que não aceitaria estar no lugar de Pazuello para receber as ordens que vem sendo dadas por Bolsonaro.

Aprovação

Em relação à vacina Sputnik, o governador do Piauí, Wellington Dias (PI), ressaltou que as doses serão entregues para o Programa Nacional de Imunização, de acordo com informações da Folha de S.Paulo.

Dias revelou, ainda, que, na terça (2), a União Química se comprometeu a tomar providências para conseguir aprovação da Sputnik na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Até segunda-feira (8), o laboratório deve apresentar aos governadores o cronograma de produção e entrega do produto.

Ainda de acordo com Dias, os governadores solicitaram, também, uma “proposta firme de entrega” de vacinas produzidas pelo Instituto Butantan, da CoronaVac. O objetivo é comprar do instituto mais 30 milhões de doses.