O ministério da Saúde suspendeu nesta terça-feira (11) a imunização de gestantes e puérperas com a vacina da Oxford/FioCruz, para investigação de possíveis eventos adversos nestas mulheres após a aplicação das doses. A pasta também orientou que a vacinação de pessoas neste grupo que não tenham comorbidades também seja suspensa, independentemente da vacina a ser aplicada.

Para gestantes e puérperas com comorbidades, a vacinação com as doses da Coronavac e da Pfizer deve ser mantida. Os especialistas que participaram da coletiva de imprensa para o anúncio, porém, enfatizaram que o risco da covid-19 é muito maior do que o de eventos adversos com a vacina da Oxford.

Segundo a coordenadora do PNI (Programa Nacional de Imunização), Franciele Francinato, enquanto a proporção de ocorrências de trombose e AVC após a aplicação da vacina está em 1 caso a cada 100 mil, o número de óbitos em grávidas pela covid-19 é de 20 por 100 mil.