Ruy detona campanha antecipada: “Deveriam tomar chá de semancol”

O deputado federal Ruy Carneiro (PSDB) tem criticado a postura de políticos que tentam antecipar a disputa eleitoral de 2022. Questionado frequentemente sobre posicionamentos para as próximas eleições, Ruy foi taxativo em afirmar “A classe política deveria tomar chá de ‘semancol’ por fazer campanha em um momento em que morrem milhares de pessoas.  Tem que parar de fazer campanha e trabalhar”, disse.

Ruy Carneiro enfatizou que as eleições ocorrem apenas em 2022 e que o momento é de trabalhar, buscar recursos, construir diálogos e abrir caminhos para que a Paraíba receba mais apoio do Governo Federal para o combate à pandemia da covid-19 e das graves consequências econômicas trazidas pelas limitações de circulação impostas pelo coronavírus. Ruy Carneiro tem percorrido cidades, visitado hospitais e construído diálogos com ministros com atuação importante para a área de assistência social e fomento da economia, como Turismo, Desenvolvimento Regional e da Cidadania, com a intenção conseguir investimentos para a Paraíba.

O parlamentar tem sido questionado pela imprensa com frequência e demonstrado uma postura firme para criticar e questionar políticos que estão esquecendo as necessidades atuais em detrimento de fazer campanha política. Recentemente, em uma entrevista, Ruy foi taxativo ao pedir para que a classe política trabalhe e defenda a união e o fortalecimento da fiscalização da utilização de recursos públicos voltados ao combate à pandemia, assim como tem cobrado mais apoio dos governos aos afetados pela pandemia. “A prioridade de atenção da classe política deve ser para pessoas que estão em momento de vulnerabilidade.  Eu tenho me constrangido muito com pessoas tratando de eleição presidente senador, deputado, formando chapa e subindo em palanque”, explica.

Ruy diz que os eleitores devem ficar alerta para esse tipo de comportamento e que pode ver quem está ao lado do povo nesse momento difícil. “Deveriam se constranger com esse tipo de debate fora do ano eleitoral, em um momento em que falta comida na mesa das pessoas, que tem desemprego, que os hospitais estão em dificuldade, falta oxigênio. É importante que a população veja isto”, alerta.

 

Da Redação com Assessoria