Após live realizada na noite da última quinta-feira (29) pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido), em que o mandatário atacou o atual sistema eleitoral brasileiro , o Supremo Tribunal Federal reagiu às declarações dadas pelo capitão do Exército. Segundo a jornalista Mônica Bergamo, um dos magistrados chamou Bolsonaro de “moleque” e a declaração contou com o apoio dos outros ministros.

No Tribunal Superior Eleitoral, o clima segue exatamente o mesmo. O órgão conta três ministros: o presidente Luis Roberto Barroso – que foi duramente atacado por Bolsonaro em sua transmissão ao vivo -, Edson Fachin e Alexandre de Moraes.

Após live realizada na noite da última quinta-feira (29) pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido), em que o mandatário atacou o atual sistema eleitoral brasileiro , o Supremo Tribunal Federal reagiu às declarações dadas pelo capitão do Exército. Segundo a jornalista Mônica Bergamo, um dos magistrados chamou Bolsonaro de “moleque” e a declaração contou com o apoio dos outros ministros.

No Tribunal Superior Eleitoral, o clima segue exatamente o mesmo. O órgão conta três ministros: o presidente Luis Roberto Barroso – que foi duramente atacado por Bolsonaro em sua transmissão ao vivo -, Edson Fachin e Alexandre de Moraes.

Os ministros entendem que o diálogo com Bolsonaro – prática defendida pelo presidente da Suprema Corte, Luiz Fux – são inúteis e que a tentativa é de tumultuar a eleição caso o presidente chegue em desvantagem e possa não conseguir a sua reeleição.