O Talibã conquistou neste sábado (7) a cidade de Sheberghan (norte), a segunda capital provincial a cair nas mãos dos insurgentes em menos de 24 horas e desde o início da retirada final das forças estrangeiras lideradas pelos Estados Unidos do Afeganistão em maio. O Talibã havia assumido o controle na sexta-feira (6) de uma primeira capital provincial, Zaranj (sudoeste), sem resistência real das forças afegãs, já ocupadas defendendo várias outras capitais provinciais em todo o país.

Para o Talibã, esta é uma vitória muito simbólica que pode ter um efeito psicológico devastador para o exército afegão, cujo moral já está em seu nível mais baixo.

A Grã-Bretanha advertiu todos os cidadãos britânicos no Afeganistão para deixarem o país imediatamente devido à “piora da situação de segurança” à medida que os combates se intensificam.

O aviso vem depois que o Talibã lançou uma grande ofensiva para coincidir com a retirada das forças estrangeiras lideradas pelos Estados Unidos, após quase duas décadas de conflito.

O Talibã conquistou vastas áreas rurais nos últimos três meses e agora está direcionando suas ofensivas às grandes cidades, cercando várias capitais de províncias, incluindo Kandahar e Herat, a segunda e a terceira maiores cidades do país.

Revés para o governo

“Infelizmente o Talibã tomou a cidade de Sheberghan”, disse Qader Malia, vice-governador da província de Jawzjan, da qual Sheberghan é a capital, acrescentando que “as forças e oficiais (afegãos) fugiram para o aeroporto”.

A província de Jawzjan é a fortaleza do marechal Abdul Rashid Dostom, um poderoso líder da milícia uzbeque conhecido por sua lealdade inconstante e barbárie.

Se sua fortaleza, Sheberghan, permanecernas mãos do Talibã, será mais um revés para o governo, que recentemente convocou ex-senhores da guerra e várias milícias para tentar conter o avanço dos insurgentes.

Sinal perturbador

Embora a captura de Zaranj – capital da província deserta de Nimroz, na fronteira com o Irã – tenha pouca importância estratégica, a rendição das forças afegãs é um sinal preocupante para outras cidades isoladas.

Nas redes sociais, mensagens disseminadas pelo Talibã sugerem uma recepção calorosa dos civis em Zaranj, uma cidade devastada pelo crime.

Essas postagens mostram o Talibã agitando suas bandeiras para veículos militares enquanto jovens e meninos os aplaudem. No entanto, não está claro se essas reações sugerem um apoio real aos insurgentes ou se os civis precisam mostrar seu apoio para garantir sua sobrevivência.

Os insurgentes, de acordo com as autoridades, libertaram todos os prisioneiros em Zaranj.

Um vídeo postado no Twitter também mostra multidões saqueando escritórios do governo, roubando mesas, cadeiras e televisores. A autenticidade dessas imagens não pôde ser verificada.

“As forças de segurança afegãs estão perdendo o moral por causa da propaganda constante do Talibã “, disse um alto funcionário de Nimroz, que pediu anonimato.

“Mesmo antes dos ataques do Talibã, muitas forças afegãs baixaram suas armas, tiraram seus uniformes, deixaram suas unidades e fugiram”, disse ele.

Civis presos

De Kunduz, uma cidade do norte sitiada pelo Talibã por semanas, o ativista Rasikh Marof disse que os combates ocorreram na noite passada perto do centro da cidade, mas o Talibã não conseguiu ganhar terreno.

As forças do governo “defenderam seriamente” a cidade para impedir a entrada do Talibã, disse ele, acrescentando que o último usou “morteiros e armas pesadas”.

As forças afegãs recorreram a ataques aéreos, de acordo com Marod e um oficial local.

“Muitas lojas fecharam e as pessoas estão ficando em casa para se proteger”, continuou o ativista.

De acordo com o Dr. Fazli, chefe de saúde da província de Kunduz, contatado pela AFP pela manhã, 38 feridos e 11 civis mortos foram levados para o principal hospital da cidade desde que a violência recomeçou na noite passada.

“As ambulâncias não podem se mover por causa dos combates”, acrescentou, acrescentando que esses números podem aumentar durante o dia.

(Com informações da AFP)