Na última segunda, segunda-feira, 17, o Talibã anunciou  uma “anistia geral” para todos os funcionários públicos e pediu que eles voltem a trabalhar normalmente após a tomada do poder no Afeganistão. “Uma anistia geral foi decretada para todos (…) portanto devem retomar sua vida cotidiana com total confiança”, anunciou o grupo fundamentalista.O principal porta-voz talibã, Zabiullah Mujahid, disse que “a situação em Cabul está sob controle. Foram presas algumas pessoas que estão envolvidas em transgressões”.

Os funcionários do governo temem serem vistos como traidores aos olhos dos talibãs. Então, os líderes políticos do grupo garantiram que todos podem voltar à vida normal e que foram perdoados.

A principal emissora de televisão afegã apresentou uma entrevista conduzida por uma mulher, Beheshta Arghand, com um membro do grupo, em que ela recorda da conquista de direitos das mulheres nos últimos anos. Os fatos aconteceram entre 1996 e 2001 — depois que o regime talibã promoveu a reclusão feminina.

Entre muitas restrições, mulheres eram proibidas de trabalhar ou estudar. Arghand questionou o Talibã sobre a situação de Cabul e sobre as revistas às casas na capital. Em mensagem dirigida aos combatentes, o comandante talibã Sayyid Mawlawi Muhammad Yaqoub afirmou que não está permitido entrar na casa de qualquer pessoa ou confiscar bens do governo derrubado. “A receptação de artigos será assunto das autoridades competentes”, disse o líder militar sobre os casos de abordagens a pessoas e residências.