Iván Duque está no Brasil em busca de atrair investimentos para a Colômbia. Presidente do país vizinho já se vacinou contra a Covid e tenta liderar ações de preservação ambiental.

O presidente Jair Bolsonaro recebeu na manhã desta terça-feira (19) no Palácio do Planalto o presidente da Colômbia, Iván Duque.

Duque está em visita oficial ao Brasil e, antes de cumprir agenda em Brasília, teve encontros com empresários e investidores em São Paulo. O objetivo é tentar atrair investimentos brasileiros para o país.

Quando Duque chegou ao Planalto, por volta das 10h25, houve salvas de tiros, execução dos hinos dos dois países e os presidentes posaram para foto. Em seguida, duque e Bolsonaro se dirigiram ao parlatório para assistir a um desfile com banda militar.

A agenda prevê uma reunião com Bolsonaro, ministros dos dois governos e a assinatura de acordos entre os países.

Há também a previsão de declaração à imprensa após a reunião. Em seguida, Bolsonaro e Duque almoçarão no Palácio Itamaraty, sede do Ministério das Relações Exteriores. À tarde, Duque terá uma audiência com o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG).

Iván Duque

 

Iván Duque foi eleito presidente da Colômbia em junho de 2018, aos 41 anos de idade. Candidato de direita, teve apoio do ex-presidente Álvaro Uribe e derrotou o candidato de esquerda Gustavo Petro.

A vitória de Duque marcou a volta dos conservadores ao poder na Colômbia ao suceder Juan Manuel Santos.

Neste ano, Duque teve de lidar com uma onda de protestos e paralisações na Colômbia. Houve dezenas de mortes. As manifestações começaram como um protesto contra mudanças nos impostos, mas a pauta também passou a pedir renda básica, oportunidades para os jovens e o fim da violência policial. As pessoas no país consideraram que a repressão policial foi excessiva.

Condução da pandemia do meio ambiente

 

Duque se apresenta como político de direita, assim como Bolsonaro, mas lida de forma diferente em temas como pandemia e meio ambiente.

O presidente colombiano, por exemplo, já se vacinou contra Covid-19, enquanto Bolsonaro afirma que não vai se vacinar, além de defender medicamentos comprovadamente ineficazes no combate à doença. A postura de Bolsonaro contraria as medidas preconizadas pela ciência.

Duque também tenta liderar na região ações de preservação e de desenvolvimento sustentável na floresta amazônica. Bolsonaro é criticado desde o início do governo por sua política ambiental, que resultou na alta do desmatamento na Amazônia.

O encontro entre os presidentes ocorre duas semanas antes da COP 26, conferência das Nações Unidas sobre mudanças climáticas e preservação ambiental, que acontecerá na Escócia.

G1