O surto de casos de H1N1 no estado do Rio de Janeiro, nos últimos dias, acabou ligando o sinal de alerta das autoridades sanitárias na Paraíba para importância da meta da vacinação contra a doença também ser atendida.

De acordo com o secretário de Saúde da Paraíba, Geraldo Medeiros, a meta ideal é que 95% do público contemplado esteja imunizado, no entanto, esse percentual só atingiu 70% até agora.
Ele explica que o público que ainda não se vacinou, sobretudo crianças e idosos, devem procurar os postos de saúde e solicitarem a vacina, que está disponível para toda população.

“Infelizmente em decorrência da pandemia, e do receio dos usuários no sentido de se deslocar de casa para as salas de vacinação, e mesmo antes da pandemia nós tínhamos uma adesão a todos os tipos de vacina menor, mas em relação a influenza, temos uma adesão ainda a menor. O ideal seria 95% do grupo contemplado vacinado, mas infelizmente ainda estamos com um número de vacina em torno de 70%. Precisamos alertar principalmente aos idosos e aqueles que têm doenças associadas para ir até os postos de vacinação para receber a vacina da gripe. As pessoas têm que ter consciência que influenza, a gripe comum, pode também mata, daí a importância das crianças acima de cinco anos e todos os adultos tomarem a vacina, que está disponível, a qualquer dia, em todas as nossa salas de vacinação”, ressaltou.

O secretário ainda deixou claro que a Paraíba só está em uma situação de equilíbrio por conta das ações realizadas pela Secretaria de Saúde e também pelo Governo do Estado, que baseia todas as medidas em evidências científicas, e não para agradar segmentos, tanto é que o estado é o único do Norte Nordeste a receber nota máxima do Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas como o estado pelo bom comportamento em meio à pandemia.

“Isso mostra que a PB tem adotado conduta de prudência, com embasamento cientifico. Nós só mudamos as nossa sacões quando ouvimos pneumologistas, infectologistas, sempre baseados em evidências científicas. Por isso desde o início nós nos manifestamos contra a desobrigação do uso de máscara, já naquele período achávamos uma atitude precipitada e a atitude de outros estados retornando a utilizar o acessário, evitando o recrudescimento de novos casos é prudente. A adesão ao impedimento das festas de réveillon em espaços públicos foi outra orientação que demos a semanas atrás, e é por isso que a Paraíba recebeu a nota 10 do Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas como único estado do Norte Nordeste que recebeu essa nota máxima, por conta do bom comportamento da secretaria de saúde, do Governo do Estado, no sentido de sempre adotar medidas baseadas em evidencias cientificas e não para agradar este ou aquele segmento”, completou.

PB Agora