Os aeroportos de João Pessoa e Campina Grande serão ampliados para receber mais turistas com obras de modernização prevista para serem iniciadas já no próximo mês. De acordo o diretor presidente da Aena Brasil, Santiago Yus, as reformas serão feitas nos espaços internos e externos, além das áreas de receptivo, alimentação e comercial.

O planejamento das obras foi realizado a partir de uma projeção de aumento da demanda para os próximos anos, com previsão de balanceamento entre todas as instalações necessárias para garantir um fluxo contínuo e confortável das operações nos momentos de pico de passageiros.

No Aeroporto Internacional de João Pessoa – Presidente Castro Pinto, as novidades começam pela ampliação do terminal de passageiros, cuja área será ampliada em 40% – passando de 8,8 mil metros quadrados para 12,5 mil metros quadrados. Com a expansão dos ambientes operacionais, os passageiros terão mais espaço nos locais de embarque e desembarque, que ficarão com o dobro do tamanho atual; haverá incremento no número de totens de autocheck-in e balcões de imigração; com destaque para o canal de inspeção de segurança.

A principal melhoria será o aumento do número de pontos de embarque, que vão de cinco para oito, sendo dois deles com pontes de contato móveis (fingers), que não existiam no terminal. O pátio de aeronaves será ampliado em mais de 11 mil metros quadrados, e as pistas de táxi e de pouso e decolagem terão melhoras significativas de segurança operacional.

Já no aeroporto de Campina Grande – Presidente João Suassuna que tem quase 2,7 mil metros quadrados, serão 1,3 mil metros quadrados reformados, além da construção de mais 605 metros quadrados. Depois das obras, o terminal de passageiros fica com uma área total de 3,3 mil metros quadrados. Essas mudanças vão permitir a ampliação dos ambientes operacionais.

No lado ar, o pátio de Campina Grande terá a ampliação de 10,7 mil metros quadrados, enquanto a pista de táxi ganhará 17,7 mil metros quadrados a mais.

As concorrências para a realização das obras foram fechadas e o bloco 2 que contempla João Pessoa e Campina Grande ficará a cargo do consórcio Teixeira Duarte & Alves Ribeiro. Serão investidos R$ 1,2 bi em reformas estruturais nos seis aeroportos que administra.

As reformas estruturais preveem a instalação de novas pontes móveis de embarque, equipamentos de segurança, de inspeção de bagagens, além de investimentos em tecnologia, conforto e eficiência operacional, em todas as etapas do processamento de passageiros, bagagens e cargas.

Os trabalhos do bloco 1 (Recife) serão realizados pelo consórcio Passarelli-Método. A disputa pelo bloco 3 (Maceió, Aracaju e Juazeiro do Norte) foi vencida pelo consórcio Encalso Construções e Azevedo Travassos, nesta quinta, 16 de dezembro.

A partir do início de 2022, a Aena Brasil dá início às reformas nos aeroportos administrados pela companhia no país: Recife, Maceió, João Pessoa, Aracaju, Juazeiro do Norte e Campina Grande. Os trabalhos serão entregues até junho de 2023.

“Como consequência, os passageiros também vão usufruir de uma melhor experiência. Vamos readequar as áreas de acordo com a previsão de tráfego aéreo e a relação entre espaço – passageiro, a partir dos índices recomendados pela Anac. Os ambientes serão distribuídos segundo a necessidade de cada atividade operacional. Os fluxos de processamento de passageiros, bagagens, cargas e malotes postais também foram redesenhados para garantir maior eficiência de ponta a ponta”, detalha Santiago Yus.

Da Redação
com Emmanuela Leite