Após romperem a aliança em 2019, o governador João Azevêdo (Cidadania) e o ex-governador Ricardo Coutinho (PT) se encontram nesta quinta-feira (30), no Gulliver Restaurante, em João Pessoa. Entretanto, não foi em uma agenda oficial ou pré-agendado, e sim de forma totalmente inesperada, o que causou desconforto em todos os presentes.

De um lado do restaurante, João Azevêdo, o secretário-chefe de Gabinete do Governo, Ronaldo Guerra, o secretário de Estado da Comunicação Nonato Bandeira, e o advogado Marcos Inácio. Do outro, em mesa separada e distantes, Ricardo Coutinho, Amanda Rodrigues e o filho do casal.

Segundo relatos de pessoas presentes no local, o clima não estava nada amistoso e ambos não trocaram sequer olhares, mesmo sendo notório o desconforto em estarem dividindo o mesmo espaço. O fato curioso é que o encontro acontece horas após João Azevêdo, em entrevista à imprensa paraibana, afirmar que Ricardo tinha um ‘projeto de vingança contra ele’.

O rompimento
O governador da Paraíba, João Azevêdo, anunciou a saída do (PSB) em dezembro de 2019. O anúncio foi feito através de uma carta enviada à imprensa, em que o gestor afirma que chegou a esperar o restabelecimento do diálogo no PSB, mas com a falta de autocrítica depois da intervenção no diretório estadual feita por Ricardo Coutinho, ele decidiu sair.

Em nota, PSB chegou a rebater a desfiliação e o acusou o chefe do Executivo paraibano de traição.

A carta do governador é intitulada “Saio do PSB em busca da democracia perdida”. João Azevêdo diz que chegou ao limite no partido pelo qual se elegeu em 2018 e sai diversas vezes em defesa da democracia.