O Brasil registrou na última sexta-feira (31) 85 mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas, com o total de óbitos chegando a 619.109 desde o início da pandemia. Com isso, a média móvel de mortes nos últimos 7 dias ficou em 97. Em comparação à média de 14 dias atrás, a variação foi de -26%, indicando tendência de queda.

Os números estão no novo levantamento do consórcio de veículos de imprensa sobre a situação da pandemia de coronavírus no Brasil, consolidados às 20h da sexta-feira. O balanço é feito a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde.

Sete estados não tiveram registros de mortes: AC, AL, MS, PI, RN, RO e SE não registraram mortes. RR e TO não divulgaram os dados nesta sexta-feira.

Em 12 de dezembro, o Ministério da Saúde informou que o processo para recuperação dos registros dos brasileiros vacinados contra a Covid-19 foi finalizado, sem perda de informações. Mas, no dia seguinte, o ministro Marcelo Queiroga disse que houve um novo ataque hacker. A previsão de estabilização dos sistemas (14 de dezembro) não foi cumprida.

Sábado (25): 96
Domingo (26): 92
Segunda (27): 96
Terça (28): 109
Quarta (29): 106
Quinta (30): 114
Sexta (31): 97

Em 31 de julho, o Brasil voltou a registrar média móvel de mortes abaixo de 1 mil, após um período de 191 dias seguidos com valores superiores. De 17 de março até 10 de maio, foram 55 dias seguidos com essa média móvel acima de 2 mil. No pior momento desse período, a média chegou ao recorde de 3.125, em 12 de abril.

Em casos confirmados, desde o começo da pandemia, 22.285.373 brasileiros já tiveram ou têm o novo coronavírus, com 9.751 desses confirmados no último dia. A média móvel nos últimos 7 dias foi de 8.180 novos diagnósticos por dia. Isso representa uma variação de +137% em relação aos casos registrados em duas semanas, indicando tendência de alta nos diagnósticos.

O número nos casos pode ter subido por conta de dados represados após ataque hacker ao Ministério da Saúde.

Ao JN, o pesquisador Diego Xavier, da Fiocruz, disse que há sinais de crescimento de casos pelo país, mas que ainda não é possível ter certeza se o aumento está mesmo neste ritmo. Ele afirma que essa alta na média de casos pode sofrer influência do período em que vários estados ficaram sem informar seus boletins por causa do ataque hacker às plataformas do Ministério da Saúde. Como a média móvel é uma comparação com 14 dias atrás, foi exatamente o período em que os dados ficaram mais baixos por causa da falta de informação.

Em seu pior momento, a curva da média móvel nacional chegou à marca de 77.295 novos casos diários, no dia 23 de junho deste ano.

Brasil, 30 de dezembro

Total de mortes: 619.109
Registro de mortes em 24 horas: 85
Média de novas mortes nos últimos 7 dias: 97 (variação em 14 dias: -26%)
Total de casos confirmados: 22.285.373
Registro de casos confirmados em 24 horas: 9.751
Média de novos casos nos últimos 7 dias: 8.180 (variação em 14 dias: +137%)

Estados

Em alta (3 estados): MT, AP, CE
Em estabilidade (9 estados): AM, GO, MS, BA, MA, PB, PE, AC, SC
Em queda (12 estados e o DF): PR, RS, ES, MG, SP, RJ, PA, RO, AL, PI, RN, SE
Não divulgaram (3 estados): RR e TO
Essa comparação leva em conta a média de mortes nos últimos 7 dias até a publicação deste balanço em relação à média registrada duas semanas atrás.

Vale ressaltar que há estados em que o baixo número médio de óbitos pode levar a grandes variações percentuais. Os dados de médias móveis são, em geral, em números decimais e arredondados para facilitar a apresentação dos dados.

Sul

PR: -46%
RS: -57%
SC: 2%

Sudeste

ES: -25%
MG: -57%
RJ: -18%
SP: -54%

Centro-Oeste

DF: -50%
GO: 0%
MS: 0%
MT: 55%

Norte

AC: 0%
AM: +13%
AP: 600%
PA: -43%
RO: -16%
RR: Não divulgou
TO: Não divulgou

Nordeste

AL: -88%
BA: 2%
CE: 41%
MA: 0%
PB: 0%
PE: 4%
PI: -36%
RN: -53%
SE: -75%

 

Do G1.