Em um movimento semelhante ao que ocorre na Receita Federal, servidores do Banco Central articulam a entrega coletiva de cargos em comissão. Os funcionários do órgão estão inconformados com o aumento concedido aos policiais e prometem uma paralisação para os próximos dias. O reajuste no salário das carreiras da segurança pública está previsto no Orçamento de 2022.

O Sinal (Sindicato Nacional dos Servidores do Banco Central) organizou uma lista para que os servidores coloquem seus nomes para a entrega dos cargos. De acordo com a entidade, não houve diálogo com a categoria.

“Os policiais federais e os servidores da Receita Federal terão reajuste salarial em 2022, aprofundando ainda mais as diferenças remuneratórias entre o BC e carreiras congêneres; e já houve acordo na questão dos 28,86% para os servidores da Receita Federal, os do Tesouro Nacional, os policiais rodoviários federais, os da Controladoria-Geral da União etc., mas não houve negociação para os servidores do Banco Central do Brasil”, informa o comunicado publicado pelo sindicato.

No próximo dia 18, convocados pelo Fórum Nacional Permanente de Carreiras Típicas de Estado, vários servidores de carreira do Estado devem parar em razão do aumento repassado apenas a policiais. Os servidores do Banco Central e de outros órgãos também organizam protestos presenciais em Brasília.

R7