O homem mais alto do mundo está em pé outra vez. Joelison Fernandes da Silva, mais conhecido como Ninão, ficou em pé pela primeira vez com a prótese da perna. Aos 37 anos, Ninão, como é conhecido o gigante paraibano, ficou em pé em uma clínica em Campina Grande, após ter amputado o membro, em dezembro de 2021.

A prótese de Ninão foi feita sob medida para ele e com material especial resistente aos seus mais de 200 quilos e 2,37 metros de altura.

Ninão, que mora no município de Assunção, no Cariri paraibano, foi diagnosticado há cerca de quatro anos com osteomielite, uma doença infecciosa que atinge os ossos, mas os sintomas surgiram há aproximadamente uma década.

Por conta disso, em dezembro de 2021, ele amputou o membro em uma cirurgia que levou quase três horas e foi feita no Hospital Antônio Targino, em Campina Grande. A cirurgia representou alívio para Ninão, que vai deixar de sentir dores e terá as complicações de saúde reduzidas.

Os recursos para a cirurgia e cuidados pós-operatórios foram arrecadados em uma campanha realizada pela internet. Já a prótese foi doada por um morador de João Pessoa.
Joelison Fernandes da Silva, de 37 anos, da pequena Assunção , foi reconhecido como o homem mais alto do Brasil duas vezes. Antes de descobrir uma infecção que comprometeu sua perna direita e o obriga a decidir por uma amputação, ele participou de diversos programas na TV e viu a vida mudar. Com gigantismo, doença caracterizada pelo excesso do hormônio do crescimento na infância e puberdade, ele mede hoje 2,37 metros.

Em 2007 ele foi reconhecido pela primeira vez como “homem mais alto do Brasil”, então com 2,29 metros, pelo RankBrasil e, desde então, passou a ser abordado por programas de TV em São Paulo e várias emissoras de tv do país.

PB Agora