As pesquisas eleitorais mais recentes mostram que o União Brasil é, atualmente, o partido com mais candidatos competitivos nas disputas para os governos estaduais. A sigla resultado da fusão DEM+PSL tem nomes em 1º lugar isolado ou empatado na margem de erro nessa posição em 6 unidades da Federação.

O Poder360 compilou levantamentos de 20 Estados e do Distrito Federal, os disponíveis até o momento e registrados no TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Foram consideradas todas as pesquisas com metodologias conhecidas e das quais foi possível verificar a origem das informações.

Na sequência do ranking de pré-candidatos competitivos, aparece o PL, partido do presidente Jair Bolsonaro, com 3 nomes. PT, PDT, MDB e Republicanos, cada um com 2 pré-candidatos, vêm logo depois.

Fonte: Levantamento do Poder360

O PT, com Fernando Haddad, lidera em São Paulo –unidade da Federação com mais eleitores aptos a votar (32,6 milhões). Em 2018, o Estado elegeu João Doria, do PSDB. O ex-governador é pré-candidato a presidente, mas patina nas pesquisas. No último PoderData, marcou 4%.

Se Haddad vingar e for eleito, o petista pode alavancar a candidatura de Lula –que lidera o cenário nacional– entre paulistas.

No 2º maior colégio eleitoral do Brasil, Minas Gerais, Romeu Zema (Novo) está em 1º lugar. O mineiro busca a reeleição. O ex-prefeito de Belo Horizonte Alexandre Kalil (PSD) fica em 2º lugar.

Fonte: Levantamento do Poder360 e dados atualizados em abril pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral)

O levantamento do Poder360 considerou os nomes testados no cenário estimulado com mais pré-candidatos. Em caso de mais de uma simulação com a mesma quantidade de nomes, foi considerada aquela elencada como principal pela empresa de pesquisa.

12 GOVERNADORES NA FRENTE

Em 11 Estados e no Distrito Federal, governadores que tentam a reeleição lideram a corrida eleitoral. Os chefes do Executivo do Pará, Helder Barbalho (MDB), e do Paraná, Ratinho Jr. (PSD), podem ser eleitos para um novo mandato já em 1º turno. Têm mais intenções do que todos os outros candidatos somados.

Percentuais no cenário com mais nomes testados

A arrecadação das unidades da Federação bateu recorde em 2021 e foi a maior desde 1999. A alta, de 21,1%, foi impulsionada –principalmente– pelo ICMS. Os caixas cheios devem ajudar a alavancar os governadores em seus projetos de reeleição.

 

  • PODER 360