Os ministros do Tribunal de Contas da União (TCU) receberam, apenas em 2022, R$ 767 mil em diárias para os mais variados destinos, que vão desde Goiânia (a 200 km do tribunal) até Nova Délhi, do outro lado do planeta.

Segundo dados obtidos por O Antagonista no Portal da Transparência, Bruno Dantas e Augusto Nardes são os recordistas em gastos.

Dantas embolsou quase R$ 143 mil em diárias durante viagens a Paraguai (duas vezes), Equador, Peru, México, Polônia, Arábia Saudita, Áustria, França, Índia e Egito. Recentemente, o ministro cobrou dos ex-integrantes da Lava Jato no Paraná o reembolso milionário de diárias recebidas (ou não) durante a operação.

Nardes fez oito viagens, a maioria pelo Brasil. Esteve no Chile e nos Emirados Árabes Unidos. Embolsou R$64,3 mil em diárias.

Reportagem do Metrópoles, do último fim de semana, mostrou os gastos também dos ministros Vital do Rêgo e Marcos Bemquerer Costa (então ministro-substituto), que estiveram num congresso em Aruba, em maio. Cada um recebeu R$ 24 mil em diárias. As passagens de cada um custaram R$ 19 mil.

Um caso envolvendo o ministro Aroldo Cedraz já havia sido noticiado por O Antagonista, em maio: o Tribunal aceitou pagar R$ 82,7 mil para que o ministro fizesse um curso de três dias em Mountain View, cidade na região do Vale do Silício. Foi acompanhado de um assessor.

Dados atualizados do portal do tribunal mostram que ele recebeu quase R$ 32 mil por nove diárias internacionais. Passagens entre Londres, São Francisco e Brasília custaram R$ 27 mil.

Cedraz emendou seu tour internacional, acompanhando a ministra Ana Arraes à Lisboa (onde visitou a embaixada brasileira) e a Londres (onde participaram de um curso de Data Analytics). Ana Arraes recebeu R$ 28,7 mil extras e Cedraz, R$ 15,5 mil.

 

O Antagonista