O sonho de uma vida nos Estados Unidos terminou em tragédia para dezenas de imigrantes ilegais. Por volta das 20h de ontem (22h em Brasília), a polícia de San Antonio, no Texas, encontrou ao menos 42 cadáveres dentro de um caminhão-baú que havia sido abandonado na Estrada Quintana, perto de uma linha de trem. Alguns sites de notícias citavam 50 mortos. O Departamento de Segurança Interna assumiu a investigação e começou a realizar buscas pelo motorista do caminhão, que levava cerca de 100 imigrantes. O jornal Houston Cronicle classificou o incidente como o mais mortífero da história da imigração ilegal nos EUA.

“Pelo menos 42 pessoas encontradas mortas dentro de caminhão carregando imigrantes no Texas. Essas mortes pairam sobre (Joe) Biden. Elas são o resultado de suas políticas letais de fronteiras abertas. Elas mostram as consequências mortíferas de sua recusa em reforçar a lei”, afirmou, no Twitter, o governador do Texas, Greg Abbott, culpando o presidente democrata.

De acordo com a rede de televisão local KSAT, outras 16 pessoas foram transferidas para hospitais da região em diferentes condições clínicas. As autoridades não encontraram documentos no local, o que sugere provável tráfico de imigrantes. Até o fechamento desta edição, nenhuma informação sobre a nacionalidade das vítimas tinha sido divulgada. O Texas enfrenta uma forte onda de calor, com registro de 39,4 graus centígrados ontem.

“Há dezenas de imigrantes mortos em San Antonio. (…) Senhor, tenha piedade deles. Eles esperavam por uma vida melhor. (…) Tanta gente sofrendo. Deus, Deus, Deus!”, escreveu no Twitter Gustavo García-Siller, arcebispo de San Antonio, que exortou a comunidade da Igreja Católica texana a prestar solidariedade. Uma organização humanitária católica se mobilizava para tentar ajudar os sobreviventes.

 

Correio Brasiliense