O empresário Roberto Correia Vicente do Monte, acusado de matar o radialista Joacir Filho, em Campina Grande, foi condenado a 19 anos de prisão. O julgamento do empresário começou na manhã da quarta-feira (29) e terminou na madrugada desta quinta (30).

O julgamento durou quase 17 horas, e foi marcado por diversas tentativas de defesa por parte do advogado do acusado. Ele pedia pela acusação de Roberto, mas não reconhecia as qualificações do crime, e chegou a apresentar um médico para embasar a tese de que o acusado estaria bêbado no momento do crime, que aconteceu em 2019.

Roberto foi flagrado por câmeras de segurança de um restaurante com Joacir. Ambos conversavam e, embriagado, Roberto Correia, achou que o jornalista havia furtado um relógio e por isso atirou nele.

O acusado foi condenado a 19 anos de prisão por homicídio duplamente qualificado, por motivo torpe. A advogada e irmã da vítima, Mona Lisa Oliveira, afirmou que o julgamento marcaria o fim de uma etapa de dor para a família.

Outro réu foi citado no processo, que seria um segurança de Roberto Correia, mas a pedido da defesa e para facilitar o andamento dos julgamentos, este processo foi desmembrado.

Radialista Joacir Oliveira Filho foi assassinado dentro de um restaurante no centro de Campina Grande — Foto: Reprodução/TV Paraíba
Radialista Joacir Oliveira Filho foi assassinado dentro de um restaurante no centro de Campina Grande — Foto: Reprodução/TV Paraíba

G1