A juiza Kathaleen St. J. McCormick, de Delaware (EUA), decidiu nesta 6ª feira (29.jul.2022) que o processo do Twitter contra Elon Musk será realizado a partir de 17 de outubro. A big tech processou o bilionário depois de ele cancelar a compra da rede social.

A decisão de McCormick se deu depois que os advogados de Musk alegaram que o Twitter estipulava a data de 10 de outubro para o início do julgamento “sem justificativas”. O Twitter afirmou que não se opõe ao dia definido, 17 de outubro, desde que tenha garantia de um julgamento completo de 5 dias, como também anunciado pela juíza.

RELEMBRE O CASO

A aquisição da plataforma por US$44 bilhões foi aprovada em 25 de abril. Entretanto, Elon Musk anunciou a desistência da compra da rede social em 8 de julho, quando afirmou que o Twitter “violou várias disposições do contrato” e que a empresa não forneceu detalhes sobre contas falsas e spams presentes na rede social.

Para a cúpula do Twitter, a questão das contas falsas não passa de uma distração. A big tech exige que Musk pague o valor acordado.

Em 12 de julho, o Twitter entrou com uma ação judicial no Tribunal de Chancelaria de Delaware, nos Estado Unidos, contra Musk para que a aquisição fosse concluída. Na época, o twitter acusou o CEO da Tesla e da SpaceX de montar “um espetáculo público para colocar o Twitter em jogo”.

“Musk aparentemente acredita que ele -ao contrário de todas as outras partes sujeitas à lei contratual de Delaware- é livre para mudar de ideia, destruir a empresa, interromper suas operações, destruir o valor dos acionistas e ir embora”, diz o processo.

Já na última 4ª feira (27.jul), o empresário pediu à Justiça norte-americana que o processo envolvendo a compra da rede social fosse julgado em 17 de outubro, contrariando seu 1º pedido, para o julgamento a partir de fevereiro de 2023. O Twitter queria que as audiências fossem antes de 10 de outubro de 2022.

 

PODER 360