Morreu neste sábado (13), Paulo Roberto Costa, engenheiro conhecido por ter sido ex-diretor da Petrobras (PETR4) e o primeiro delator da Operação Lava Jato. Ele tinha 68 anos e foi vítima de um câncer.

Ele chegou a ser preso em 2014 ainda no início da Operação, conseguiu um habeas corpus, mas voltou a ser preso na sequência. No total, foi condenado a mais de 70 anos e respondia em liberdade antes de falecer, graças aos acordos firmados com a Justiça.

Paulo Roberto Costa dirigiu a área de Abastecimento da Petrobras entre 2004 e 2012, durante os governos Lula e Dilma. O ex-executivo era funcionário de carreira da Petrobras, onde entrou por concurso público em 1977, e passou a exercer cargos de chefia na década de 1990. Diretor indicado para a Petrobras pelo antigo PP (hoje Progressistas), em 2004, Costa ficou na companhia até a entrada de Graça Foster no comando da empresa, em 2012, quando foi demitido na tentativa da estatal de dissociar a influência política da empresa.