Arthur Lira (PP-AL) e Ciro Nogueira (PP-PI) — Foto: Paulo Sérgio/Câmara dos Deputados e Edilson Rodrigues/Agência Senado

O Centrão tem articulado, junto ao setor produtivo, ações para baixar os preços dos alimentos, especificamente das carnes de boi e de frango e do ovo.

Têm atuado nesse sentido o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), e o ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira (PP-PI), que tem se reunido com gigantes do setor para tratar do assunto.

A ideia desses líderes do Centrão é buscar uma saída junto à Confederação de Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), que reúne empresários do agro.

De acordo com pessoas do setor com quem o blog conversou, o preço dos alimentos pode ser influenciado pela redução no Imposto sobre Circulação de Mercadorias ou Serviços (ICMS), mas isso teria um impacto direto na arrecadação dos Estados, como aconteceu no caso dos combustíveis.

Em junho, Jair Bolsonaro (PL) sancionou um projeto de lei que limita o ICMS sobre itens como gasolina, diesel e energia elétrica.

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor (IPCA) de julho apresentou uma redução de 0,68%, mas o efeito não foi sentido pelos mais pobres, já que a queda da inflação foi impulsionada, principalmente, pela mudança nos preços dos combustíveis e da energia, não da comida.

Esse é um dos motivos pelos quais, segundo assessores do presidente, Bolsonaro não conseguiu avançar entre os eleitores que ganham até 2 salários mínimos, como mostrou o último Datafolha, divulgado na quinta-feira (18).

Em comparação com a pesquisa publicada no final de julho, ele se manteve com os mesmos 23% de intenções de voto nessa faixa de renda.

G1