Quase 2 anos depois do lançamento, a plataforma PagTesouro é usada por 44 órgãos públicos. O sistema permite o pagamento de serviços públicos via Pix e cartão de crédito. 

Entre os serviços que podem ser pagos por meio eletrônico estão inscrições em concursos públicos e no Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), emissão de passaporte, registro de patentes e taxas e multas sanitárias.

O PagTesouro começou a funcionar em novembro de 2020, depois de 1 ano de testes. O 1º órgão a aderir ao sistema foi a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

As transações realizadas no PagTesouro são registradas nos sistemas de arrecadação como GRU (Guia de Recolhimento da União) digital. Esse documento foi criado pelo Ministério da Economia para o recolhimento das receitas de órgãos, autarquias, fundações e demais entidades do governo federal.

A plataforma permite que tanto o pagador de impostos como o órgão arrecadador visualizem o pagamento poucos segundos depois de sua finalização. Todas as instituições financeiras que operam o Pix aceitam pagamentos do PagTesouro.

Como usar

Para efetuar pagamentos pelo PagTesouro, é necessário que o serviço esteja disponível no site do órgão público. Assim que o cidadão pedir um serviço, o logotipo da plataforma aparecerá na página. Basta clicar nele e escolher a forma de pagamento desejada: Pix ou cartão de crédito.

Caso queira pagar por meio de Pix, deverá abrir o aplicativo da instituição de pagamento e apontar a câmera do celular para o código QR que aparecerá na tela. Também é possível copiar o código que aparece no site do órgão público e colar no aplicativo. Depois, basta seguir as instruções e finalizar o pagamento. A comprovação será apresentada automaticamente na tela.

Quem pagar por cartão de crédito deve escolher a opção correspondente e escolher um dos Prestadores de Serviço de Pagamento apresentados. Nessa modalidade, pode ser cobrado um valor adicional de tarifa, que será detalhadamente descrito, para então prosseguir com a confirmação do pagamento.

No pagamento por cartão de crédito, o pagador de impostos também pode parcelar o débito. O órgão público, no entanto, receberá o valor à vista. O parcelamento segue a lógica do comércio tradicional.

Confira lista dos órgãos federais que aceitam receber Pix:

  • Anac (Agência Nacional de Aviação Civil);
  • ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres);
  • Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária);
  • CCCPMB (Caixa de Construções de Casas para o Pessoal da Marinha do Brasil);
  • Comando da Aeronáutica;
  • Comando da Marinha;
  • Comando da Marinha – Fundo de Desenvolvimento do Ensino Profissional Marítimo;
  • Comando do Exército;
  • CVM (Comissão de Valores Mobiliários);
  • Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica);
  • DNOCS (Departamento Nacional de Obras Contra as Secas);
  • DPF  (Departamento de Polícia Federal);
  • Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares;
  • Empresa de Trens Urbanos de Porto Alegre S/A;
  • Funag (Fundação Alexandre de Gusmão);
  • FUB (Fundação Universidade de Brasília);
  • UFMS (Fundação Universidade de Mato Grosso do Sul);
  • UFU (Fundação Universidade Federal de Uberlândia);
  • FEx (Fundo do Exército);
  • FSM (Fundo do Serviço Militar);
  • Fundo Nacional Antidrogas;
  • Hospital de Clínicas de Porto Alegre;
  • IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística);
  • IFMG (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais);
  • IFSULDEMINAS (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas Gerais);
  • Inpi (Instituto Nacional da Propriedade Industrial);
  • Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira);
  • Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia);
  • Jardim Botânico do Rio de Janeiro;
  • Justiça Eleitoral (TSE e todos os tribunais regionais eleitorais);
  • Ministério da Defesa;
  • Ministério da Economia;
  • Ministério da Justiça e Segurança Pública;
  • PRF (Polícia Rodoviária Federal);
  • Secretaria de Aquicultura e Pesca;
  • STF (Supremo Tribunal Federal);
  • UNIFEI (Universidade Federal de Itajubá);
  • UFLA (Universidade Federal de Lavras);
  • UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina);
  • UFV (Universidade Federal de Viçosa);
  • UFC (Universidade Federal do Ceará);
  • UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul);
  • UFF (Universidade Federal Fluminense);
  • UFTM (Universidade Federal do Triângulo Mineiro).

 

PODER com informações da Agência Brasil.