EDUARDO PAZUELLO. FOTO: CAROLINA ANTUNES/PR.

Ministério Público Eleitoral (MPE) deu parecer favorável ao pedido de registro de candidatura do ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello. Filiado ao PL, mesmo partido do presidente Jair Bolsonaro, o general vai ser candidato a deputado federal pelo Rio de Janeiro.

Para registro oficial de sua candidatura, contudo, falta ainda a autorização da Justiça Eleitoral. Nos documentos enviados ao órgão, Pazuello declarou um patrimônio de 1,3 milhão de reais.

O parecer do MPE diz que ficou “demonstrado o preenchimento das condições de elegibilidade” e que não há “notícia de eventual incompatibilidade de quaisquer das hipóteses de in ordenamento jurídico”.

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Enquanto ministro, Pazuello foi autuado por improbidade administrativa na gestão da crise de Covid-19 em Manaus. A falta de oxigênio levou à morte por asfixia de vários pacientes, mas terminou absolvido por conta de uma mudança na lei. A aposta no suposto ‘tratamento precoce’ e o atraso no cronograma de vacinação também marcaram negativamente sua gestão.

Até abril, mês da sua filiação, ele ocupava o cargo de assessor de Assuntos Estratégicos da Presidência, a exoneração aconteceu para que ele pudesse pleitear uma cadeira na Câmara. Nesta posição, Pazuello foi questionado pela ausência de eventos em sua agenda oficial de trabalho por mais de um mês.

O general também participou da elaboração do programa de governo de Bolsonaro, as sugestões abordaram as questões de saúde a serem priorizadas pelo presidente e passaram pelo crivo do coordenador da campanha, o senador Flavio Bolsonaro (PL-RJ).

 

CARTA CAPITAL