O Brasil conta com 57 milhões de voluntários ativos, segundo Pesquisa Voluntariado no Brasil 2021, divulgada pelo IDIS, Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social, em julho deste ano. A pesquisa aponta que 56% da população adulta diz fazer ou já ter feito alguma atividade voluntária na vida. Em 2011, esse número representava 25% da população e, em 2001, apenas 18%. Chama a atenção também o número de voluntários ativos no momento da pesquisa – 34% dos entrevistados, o que representa cerca de 57 milhões de brasileiros comprometidos com atividades voluntárias.

No mês em que se celebra o Dia do Voluntariado (28 de agosto), a Transforma Brasil, a maior plataforma de voluntariado do país, reconhecida pela Organização das Nações Unidas (ONU), em 2019, como um dos principais programas de voluntariado das Américas, completa quatro anos com a marca de quatro milhões de horas de trabalho voluntário e mais de 1 milhão de brasileiros inscritos.

“Há milhões de pessoas querendo prestar serviço voluntário e milhares de ONGs necessitando dessa ajuda”, diz o presidente da Transforma Brasil, o empreendedor social Fábio Silva, do Recife. “Nosso papel é unir essas duas pontas, trazendo benefícios para quem necessita.”

Por isso, a plataforma é conhecida como “match do bem” e traz os mais diversos tipos de ações. As emergenciais são as que mais mobilizam, como a Tamo Junto na Luta, de combate à fome, que reuniu 4 mil voluntários em todo o país, e a Tamo Junto a Vacina, de apoio à vacinação, desenvolvida com a Frente Nacional de Prefeitos e que uniu 1.737 voluntários. Este ano, a ação SOS Chuvas Pernambuco, de apoio às vítimas das chuvas no estado, teve mais de 700 voluntários envolvidos na entrega de alimentos, roupas, cobertores e colchões a mais de 200 comunidades em 10 cidades, apoiando 55 mil pessoas.

Fábio Silva acredita num crescimento exponencial do voluntariado no Brasil: “Ajudar o próximo nunca foi tão atual e importante. A solidariedade foi o caminho que muitos decidiram seguir para buscar uma sociedade mais justa”, afirma. “E muitos mais vão aderir a esse novo e melhor mundo, pois este é um caminho sem volta. Vamos transformar o Brasil em uma nação de voluntários.”

Eleito pela revista Forbes como o principal empreendedor social do país em 2017, Fábio também criou a primeira incubadora e aceleradora de iniciativas sociais no Brasil, a Porto Social, e é idealizador de um grande ecossistema social, a Rede Muda Mundo, que inclui também o Movimento Novo Jeito, o Instituto Fábrica do Bem e a Casa Zero, primeiro shopping social e cultural da América Latina, no Recife.

 

EXAME