Reprodução

Em março, pela primeira vez, a Meta, empresa que controla o WhatsApp e é dona também do Facebook e do Instagram, contratou um diretor para tocar a operação brasileira.

Em entrevista ao GLOBO, Guilherme Horn, que fez carreira no mercado financeiro (Órama Investimentos, Banco BV e corretora Ágora), detalha os planos da empresa para fazer de seu sucesso de público uma fonte de recursos.

— O consumidor está cansado de aplicativos ou sites frios, ou seja, nos quais ele não fala com ninguém nem tem uma recomendação. O “comércio conversacional” vai ser um novo canal de negócios — adianta Horn.

“Comércio conversacional” nada mais é do que a interação das empresas com seus clientes via WhatsApp.

É cada vez maior o número de companhias, de todos os tamanhos, que usam a ferramenta para divulgar catálogo de produtos, conversar com clientes e fechar negócios via mensagens.

Outra função em desenvolvimento é o pagamento pelo aplicativo. Hoje, as pessoas físicas podem transferir dinheiro pelo WhatsApp usando o Facebook Pay. Em breve, será possível pagar uma compra pela ferramenta — opção que a plataforma já estreou na Índia.

O GLOBO