Foto: Reprodução

O Governo de Pernambuco anunciou, nesta quinta-feira (01.09), no Centro Administrativo do Complexo Industrial Portuário de Suape, a instalação de um Terminal de Uso Privado (TUP) da APM Terminals, subsidiária do Grupo A. P. Moller-Maersk, de origem dinamarquesa. Com o início das obras até o final do próximo ano e operação prevista para começar em 2026, o novo terminal de contêineres representa um investimento de R$ 2,6 bilhões, gerando cerca de 350 postos de empregos diretos.

 

A capacidade inicial de movimentação do TUP da APM Terminals será de 400 mil TEUS, unidade equivalente a um contêiner de 20 pés. Mas pode ultrapassar a marca de 1,3 milhão de TEUS anuais, aumentando exponencialmente a liderança regional de Suape nesse tipo de carga. Em 2021, foram movimentados 518 mil TEUS no Complexo Portuário pernambucano. “A chegada da Maersk vai consolidar ainda mais Suape como um dos principais portos do País. Trabalhamos intensamente pela atração de novos investimentos para Pernambuco e obtivemos mais esse êxito”, afirmou o governador Paulo Câmara.

 

Ocupando 49,2 hectares, o novo terminal é resultado do revocacionamento dos estaleiros do cluster naval de Suape, após a venda de parte da área pertencente ao Estaleiro Atlântico Sul (EAS). O processo teve desfecho com a realização de um leilão, quando a Maersk cobriu a maior oferta com um valor de R$ 455 milhões. Esse resultado já foi homologado pela Justiça Federal para o pagamento de parte do passivo aos credores do EAS.

 

A iniciativa possibilitará mais conexões com os principais portos do mundo, além de incrementar a movimentação de cargas de cabotagem (entre portos nacionais), setor no qual Suape já é líder no Brasil. O Complexo Portuário concentrará volumes ainda maiores de cargas conteinerizadas a serem distribuídas no Nordeste e no restante do País, com uma redução de custos que tornará Suape mais competitivo tanto em preço quanto em localização. “Essa novidade, juntamente com diversos projetos realizados ao longo destes anos, buscam tornar o porto mais competitivo e atraente para novos negócios nacionais e internacionais”, declarou o diretor-presidente do Porto de Suape, Roberto Gusmão.

 

Maior investimento da APM Terminals na América Latina, o terminal está projetado para ter infraestrutura de primeira linha. Tem como carros-chefes dois conceitos alinhados com o modelo de gestão praticado em Suape: a sustentabilidade e a eficiência pela inovação tecnológica. Como em todas as suas operações no mundo, o grupo europeu conta com um Programa de Descarbonização, que busca minimizar a pegada de carbono. Encontrará em Suape o ambiente ideal, pois se instalará em um complexo industrial que tem 59% de sua área dedicada à conservação ambiental e já contabiliza seu estoque de carbono, com um modelo de gestão com as melhores práticas ESG (sigla em inglês para governança corporativa, social e ambiental).

 

O diretor de Desenvolvimento da Região das Américas APM Terminals – Grupo Maersk, Leonardo Levy, ressaltou a importância da cadeia global do Porto para as cargas de cabotagem. “Temos uma grande expectativa de que, com mais competitividade e eficiência, os exportadores e os importadores vão reagir trazendo mais linhas de navegação diretas, conectando a Ásia e a Europa diretamente ao Porto de Suape”, concluiu.

 

A APM Terminals conta com uma série de ferramentas para maximizar a eficiência das suas operações e encontrará em Suape um ambiente de desenvolvimento de plataformas tecnológicas com a ambiciosa meta de se tornar o porto mais moderno do Brasil. Neste sentido, conta com aliados estratégicos situados no Porto Digital do Recife, como a CESAR School, que está desenvolvendo cinco módulos de Sistemas de Operação dos Terminais Portuários; e o Softex Recife, que está viabilizando trabalhos conjuntos da estatal portuária e das empresas em funcionamento no complexo com as mais de 200 startups instaladas.

 

Participaram da solenidade os secretários estaduais Alexandre Rebelo (Planejamento e Gestão), Décio Padilha (Fazenda), Marcelo Canuto (chefe de Gabinete do governador) e Alexandre Gabriel (chefe da Assessoria Especial); o presidente da Agência de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco (Adepe), Roberto Abreu e Lima; e a prefeita de Ipojuca, Célia Sales.

 

Também estiveram presentes o comandante da Capitania dos Portos de Pernambuco, capitão-de-mar-e-guerra Frederico Medeiros; a cônsul honorária da Holanda, Anelin Van Den Hoek; a CEO do Estaleiro Atlântico Sul, Nicole Mattar; o vice-presidente de Desenvolvimento da APM Terminals, Martin Van Donhen; o diretor de relações institucionais da Maersk Brasil, Mark Juzviaque; e os conselheiros do Estaleiro Atlântico Sul Roberto Brizola e Ernesto Camarço.

 

Sobre a Maersk e APM Terminals –  A. P. Moller-Maersk Group é uma operadora logística global dedicada à prestação de serviços de logística de transporte, em atividade desde 1801. No ano passado, teve faturamento superior a US$ 62 bilhões, em disputa acirrada com a MSC na liderança mundial do transporte marítimo. O grupo opera em mais de 130 países de todos os continentes. Do mesmo grupo faz parte a APM Terminals, com sede em Haia, na Holanda, que atua em 42 países e opera 45 terminais de carga do grupo em todo o mundo, contando com mais de 22 mil trabalhadores. Em 2021, movimentou quase 13 milhões toneladas em mais de 29 mil escalas de navios, que geraram receita superior a R$ 20,5 bilhões.

 

CBN Recife