Em vídeo gravado na manhã desta quarta-feira (07), o presidente Jair Bolsonaro (PL) pediu ‘união’ entre grupos ligados ao espectro político da direita, na Paraíba, em torno das eleições de 2022. No recado, endereçado a apoiadores do estado, o chefe do Poder Executivo cita preocupação com a ‘esquerda’.

“Temos um grande dia pela frente. Só quero pedir uma coisa a vocês: união, pessoal”, disse. “Ninguém é perfeito, nós temos que ter união para trazer gente nossa e não deixar que a esquerda ocupe um espaço tão precioso para nós da Paraíba e do Brasil”, afirmou.

A divisão entre grupos de direita, na Paraíba, tem se evidenciado, principalmente, na disputa ao Senado. O presidente decidiu apoiar oficialmente o candidato Bruno Roberto (PL), mas os conservadores do estado estão divididos entre o nome oficial e a candidatura do pastor Sérgio Queiroz (PRTB), ex-integrante do Governo Federal.

No vídeo endereçado à Paraíba, o presidente não explica como se daria a “união”, mas deixa um recado claro sobre seu desejo para o estado. Nos bastidores, é uma tese bastante improvável de acontecer, embora haja esforços por parte da militância bolsonarista, empenhada em reeleger o presidente.

Na disputa pelo Senado, aliás, além de Bruno e Sérgio Queiroz, um terceiro nome tem “dividido” os votos do espectro da direita: o deputado federal Efraim Filho (União), candidato ao Senado, que pertence à base do Governo Federal. Quem abrirá mão desses votos em prol da esperada união?

“União da direita, pelos nossos propósitos, pelo bem do nosso país, pela defesa da nossa família”, finalizou no vídeo o presidente da República. Quais serão os impactos concretos da mensagem entre os grupos conservadores da direita paraibana até o dia 02 de outubro? Eis a questão.

Agenda Política