(crédito: EVARISTO SA/AFP)

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou nesta quinta-feira (8/9) a candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) à Presidência da República. Os registros tanto de Lula quanto do seu vice, Geraldo Alckmin (PSB), foram deferidos por unanimidade pela corte.

Antes do julgamento dos registros, o relator dos processos, ministro Carlos Horbach, julgou improcedentes três pedidos de impugnação da chapa. Horbach afirmou que tanto Lula quanto Alckmin preenchem as condições exigidas tanto pela Constituição Federal quanto pela legislação eleitoral para concorrerem aos, não havendo impeditivos legais para os dois, e declarou seu voto favorável aos registros. Ele também se disse favorável ao registro da coligação Brasil da Esperança, e os demais ministros acompanharam o voto por unanimidade.

O registro da coligação inclui 10 partidos: PT, PCdoB, PV, PSol, Rede, Solidariedade, PSB, Agir, Avante e também o Pros, após decisão da corte na terça-feira (6/9) para anular a convenção partidária do partido que lançou o empresário e influenciador Pablo Marçal ao Planalto, com a policial militar Fátima Pérola Neggra como vice. Na data, a corte eleitoral também aprovou a adesão do partido à coligação Brasil da Esperança. Marçal teve a candidatura impugnada e não disputa mais ao Planalto, assim como Roberto Jefferson (PTB) na semana passada.

 

Correio Brasiliense