Luiz Felipe D'Ávila (Novo) obteve 559.708 votos (0,47% dos votos válidos) na eleição presidencial de 2022

O partido Novo disse nesta 2ª feira (3.out.2022) que libera os filiados para votar no 2º turno “de acordo com sua consciência” e com os “valores e princípios partidários”. Em nota (leia ao final desta reportagem), a sigla menciona a polarização o entre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o atual, Jair Bolsonaro (PL).

Afirma que trabalhou para oferecer uma “alternativa” e fala em um posicionamento “totalmente contrário ao PT e ao lulismo”.

No 1º turno da eleição presidencial, o candidato Luiz Felipe D’Ávila (Novo) obteve 559.708 votos –0,47% dos votos válidos– no 1º turno.

No domingo (2.out), o governador reeleito de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), disse que não daria apoio ao PT.

Eis a íntegra da nota:

“O NOVO trabalhou muito para oferecer aos brasileiros uma alternativa presidencial contra a polarização entre Lula e Bolsonaro, mas infelizmente sem sucesso. 

“Diante do cenário eleitoral do 2º turno, o partido se vê na obrigação de reforçar seu posicionamento institucional histórico, totalmente contrário ao PT, ao lulismo e a tudo o que eles representam, e libera seus filiados, dirigentes e mandatários, para declararem seus votos e manifestarem seu apoio de acordo com sua consciência e com os valores e princípios partidários.

“Seguiremos trabalhando para oferecer as melhores alternativas aos eleitores e construir um Brasil melhor para todos. 

“Partido Novo”

 

PODER 360