Bruno Araújo, presidente do PSDB (Foto: Reprodução)

A Executiva Nacional do PSDB decidiu nesta terça-feira liberar os diretórios estaduais para apoiarem quem preferirem no segundo turno das eleições presidenciais, disputado entre Jair Bolsonaro (PL) e Luiz Inácio Lula da Silva (PT). A ideia é permitir que os estados se adaptem às suas realidades locais.

“A Executiva Nacional do PSDB, na tarde desta terça feira (4/10), decidiu liberar os diretórios estaduais e filiados no 2° turno das eleições presidenciais”, informou o partido nas redes sociais.

O governador de São Paulo, Rodrigo Garcia, por exemplo, já declarou apoio a Jair Bolsonaro. Os dois se encontraram em São Paulo nesta tarde. Já a senadora Mara Gabrilli, que foi vice na chapa de Simone Tebet (MDB) à presidência, anunciou voto em branco, por discordar de ambos os candidatos.

O Cidadania, que faz parte da federação com o partido, anunciou apoio a Lula no segundo turno.

Eduardo Leite (PSDB), que disputa o segundo turno no Rio Grande do Sul, ainda não definiu qual será a sua atitude e está avaliando qual é a melhor alternativa para a sua campanha. Seu grupo já recebeu acenos do PT.

Em Mato Grosso do Sul, Eduardo Riedel (PSDB), candidato a governador, foi para o segundo turno e deve manter o apoio que deu a Bolsonaro no primeiro.

Em Pernambuco, Raquel Lyra (PSDB) concorre ao governo, em disputa com Marília Arraes (Solidariedade), que é ex-petista.

 

O GLOBO