O governador eleito Ibaneis (MDB) e o presidente Jair Bolsonaro (PL) (Foto: Reprodução)

O governador reeleito do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), anunciou nesta quarta-feira (5) apoio à reeleição do presidente Jair Bolsonaro (PL). A votação está marcada para o próximo dia 30.

O anúncio foi feito no Palácio da Alvorada, residência oficial da Presidência, logo após Ibaneis e Bolsonaro terem se encontrado.

Ibaneis já havia declarado apoio a Bolsonaro no primeiro turno.

“A gente tem conseguido trabalhar aqui em nossa cidade em plena harmonia. Então, nada mais natural do que esse apoio agora no segundo turno ao presidente Bolsonaro. É um apoio que vai de coração, um apoio que nós vamos correr as ruas do Distrito Federal junto com a população, em especial com a população mais carente da nossa cidade, para que a gente consiga os votos para reeleger o presidente Jair Messias Bolsonaro”, declarou Ibaneis.

Em resposta, Bolsonaro disse que não considera Ibaneis “aliado”, mas, sim, um “amigo”.

“Satisfação de receber nosso governador reeleito Ibaneis. Fechamos um acordo aqui. Ibaneis estará junto comigo por ocasião da reeleição como já esteve durante a campanha. Ele vem confirmar agora esse apoio, juntamente com a senhora vice-governadora”, afirmou o presidente.

Bolsonaro disputará o segundo turno da eleição presidencial com o ex-presidente Lula (PT). Juntos, Lula e Bolsonaro receberam 108 milhões de votos (91,6%).

Conforme o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), no primeiro turno, Lula obteve 57 milhões de votos (48,4%), e Bolsonaro, 51 milhões de votos (43,2%).

No Distrito Federal, ainda conforme o TSE, Bolsonaro recebeu 910 mil votos (51,6%), e Lula, 649 mil votos (36,8%).

Posicionamento do MDB

O colunista do g1 Valdo Cruz informou que o MDB deve liberar os diretórios estaduais a apoiar Lula ou Bolsonaro no segundo turno.

O partido teve Simone Tebet como candidata a presidente no primeiro turno. A senadora obteve 4,9 milhões de votos (4,1%) e, ainda segundo o Blog do Valdo Cruz, deve anunciar apoio a Lula no segundo turno.

No Alvorada, ao lado de Bolsonaro, Ibaneis disse que Simone Tebet “nunca” telefonou para ele. “A Simone […] não teve diálogo com os governadores. E agora, neste momento, ela vai tomar uma decisão mais uma vez isolada de seguir essa linha se ela for apoiar o presidente Lula”, afirmou o governador reeleito.

 

g1