Jair Bolsonaro (Foto: Arquivo/PR)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – O mapa das votações do presidente Jair Bolsonaro (PL) pelo país no primeiro turno em 2018 e neste ano mostra diferenças expressivas a favor do candidato à reeleição no Nordeste, especialmente no Ceará, na esteira do encolhimento político do presidenciável derrotado Ciro Gomes (PDT).

Dados tabulados pela Folha de S.Paulo apontam também quedas mais pontuais da adesão ao presidente no Sudeste.

Entre os cearenses, Bolsonaro conseguiu 300 mil votos a mais neste ano em relação à sua primeira eleição, o que representa um incremento de quase 30%. Naquele ano, ele havia terminado o primeiro turno com 21,7% dos votos válidos do estado, ante 41% de Ciro e 33,1% de Fernando Haddad, do PT.

Agora, Lula fez no Ceará 65,9% dos votos, e o candidato à reeleição, 25,4%. O pedetista teve apenas 6,8%.

A melhora da votação de Bolsonaro ocorreu em todos os outros oito estados nordestinos, com destaque também para Sergipe (cresceu 22%), Bahia (18,7%) e Alagoas (17,6%).

O mandatário priorizou desde muito antes da campanha articulações na tentativa de reduzir a rejeição na região, com uma série de viagens e costuras com aliados locais. Os governistas também apostavam em efeitos de benefícios sociais aprovados poucos meses antes do pleito, como o reajuste do Auxílio Brasil.

No Sudeste, ele venceu neste ano em todos os estados, com exceção de Minas Gerais, mas viu sua votação encolher 5,4% no Rio de Janeiro. Em São Paulo, o saldo negativo foi de 1,1% e, em Minas, de 1,3%. Outra queda significativa foi no Rio Grande do Sul, onde perdeu 100 mil votos em números absolutos.

Em todo o país, Bolsonaro reuniu 51.072.345 apoios, ou 43,2% dos votos válidos, enquanto Luiz Inácio Lula da Silva (PT), vencedor do primeiro turno de 2022, obteve 57.259.504 apoios, ou 48,43%. No pleito realizado no último domingo (2), 123.682.372 pessoas votaram para a Presidência da República.

Em 2018, o hoje chefe do Executivo conquistou, no primeiro turno, 49.277.010 apoios, e Haddad, que também chegou ao segundo turno há quatro anos, 31.342.051. Ao todo, 117.364.654 eleitores votaram.

Os dados tabulados pela reportagem também indicam uma forte redução proporcional dos votos em branco e nulos na eleição deste ano. Em 2018, esses votos somaram 8,8% do total no país. Agora, foram 4,4%. A queda foi expressiva em estados como Pernambuco, Bahia e Pará.

Já as abstenções no primeiro turno cresceram na maioria dos estados, embora no geral o volume tenha ficado quase estável. Neste ano, 21% dos eleitores não foram votar, ante 20,3% quatro anos atrás.