Lucy é investigada por mortes em 2015 e 2016 no noroeste da Inglaterra

Uma história digna de filme de terror veio ao conhecimento público nesta segunda-feira, 10, no Reino Unido. Uma enfermeira britânica é acusada de matar sete bebês e tentar matar outros dez em um unidade neonatal do Hospital Condessa de Chester, no noroeste da Inglaterra, entre 2015 e 2016. Lucy Letby, de 32 anos, começou a ser investigada pela polícia depois que o hospital notou um aumento no número de morte de bebês sofrendo de “sérios colapsos catastróficos”. “Bebês que não eram nada instáveis de repente se deterioraram”, explicou o promotor Nick Johnson durante o julgamento nesta segunda. “Às vezes, bebês que estavam doentes, mas depois se recuperavam, de repente se deterioravam sem motivo aparente”. Segundo os relatos da acusação, a enfermeira teria cometido o primeiro assassinato em junho de 2015, com um bebê prematuro de um dia de vida. Ela injetou ar na corrente sanguínea do paciente. No relatório da polícia também há dois envenenamentos com insulina, mas uma equipe conseguiu salvá-los. O julgamento começou nesta segunda em Manchester e deve durar semanas. O promotor Johnson classificou Letby como uma “presença malévola” no hospital.

 

Jovem Pan