Autoridades de Santa Rita, cidade da região metropolitana de João Pessoa, aplicaram uma multa à empresa que possui a concessão do aeroporto Castro Pinto. Isso porque, de acordo com pastas municipais, a fumaça de um incêndio que teria iniciado nas dependências do aeroporto, foi responsável por causar a hospitalização de cerca de 30 crianças.

Além da multa de R$ 20 mil, a empresa espanhola AENA deverá realizar a recomposição dos danos ambientais, de acordo informações daa secretarias municipais de Santa Rita.

Vital Madruga, secretário do Meio Ambiente, disse que, após receber uma notificação da Secretaria de Educação da cidade informando sobre o fato, equipes de fiscalização fizeram rondas nas imediações das escolas Cívico-Militar Capitão Tomaz Panta e CAIC e constataram que o foco da fumaça era o aeroporto Castro Pinto.

A empresa informou que as equipes jurídica e ambiental se reuniram para tentar entender o que aconteceu. A AENA disse ainda que o auto de infração foi uma surpresa.

Confira a nota oficial:

Na tarde da última quinta-feira (13), por volta das 16h, foi identificado um foco de fogo em área próxima a cerca patrimonial do Aeroporto de João Pessoa – ao longo da BR-230, local sem qualquer edificação ou depósito de material. De imediato, uma equipe do Corpo de Bombeiros do aeroporto apagou o pequeno foco de fogo. Na área não havia nenhum material que pudesse ter causado fogo ou fumaça.

A Aena Brasil, gestora do aeroporto, declara ainda que foi pega de surpresa pela multa emitida pela Secretaria de Meio Ambiente de Santa Rita, sem que tivesse sido realizada qualquer tipo de perícia ou apuração dos responsáveis. A Aena se solidariza com os atingidos e se mantém à disposição para quaisquer esclarecimentos.

 

t5