O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, afirmou nesta 3ª feira (18.out.2022) que os ataques russos destruíram cerca de 30% das estações de energia no país.

Segundo Zelensky, o país vem sofrendo com “apagões em massa” e teve parte da sua energia e infraestrutura destruídas.

Em seu perfil no Telegram, o líder ucraniano menciona a morte de um civil durante um ataque em um prédio residencial em Mykolaiv.

A DTEK, operadora de energia de Kiev, informou nesta 3ª feira que os ataques danificaram sua estrutura e provocaram a morte de um funcionário. Em nota, a empresa pede a países ocidentais o envio de equipamentos elétricos para retomar suas instalações locais.

“A DTEK faz um esforço total para restaurar o fornecimento de eletricidade. No entanto, tendo em conta a escala de destruição, sentimos a necessidade urgente de equipamentos. A DTEK pede aos parceiros ocidentais que evitem uma catástrofe humanitária no centro da Europa”, diz trecho do comunicado.

RETALIAÇÃO

A escalada de ataques por toda a Ucrânia, incluindo a retomada de bombardeios a Kiev, são parte de uma contra-ofensiva de Moscou. O presidente russo, Vladimir Putin, acusa a Ucrânia pela explosão da única ponte que liga a Crimeia à Rússia.

A ponte de Kerch tem 19 km de extensão. Foi construída em 2018, 4 anos depois da anexação da Crimeia pelo governo Putin. É considerada um símbolo da tomada do território.

A estrutura é um importante acesso à região de Kherson. O incidente soma-se a uma série de derrotas recentes sofridas por Moscou.

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, classificou a explosão da ponte como um ataque terrorista organizado pela Ucrânia. Desde então, os bombardeios ao território ucraniano aumentaram de forma ostensiva.

 

PODER 360