Foto: Reprodução

Na busca por alianças com governadores para o segundo turno das eleições, o presidente Jair Bolsonaro (PL) leva vantagem sobre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e já conquistou o apoio de nove governantes que venceram no primeiro turno, contra seis que declararam apoio ao petista. Considerando a população apta a votar nesses estados, Bolsonaro tem potencial para obter 49.185.287 votos, enquanto Lula, 23.625.208.

A diferença da quantidade de eleitores nos estados que sinalizaram apoio a Bolsonaro para os que declararam voto em Lula é de 25.560.079. O R7 fez o levantamento tendo como base os governadores que foram eleitos ou reeleitos no primeiro turno e o eleitorado das respectivas unidades da Federação de cada um deles.

Até o momento, Bolsonaro recebeu apoio de Gladson Cameli (PP-AC), Ibaneis Rocha (MDB-DF), Mauro Mendes (União Brasil-MT), Romeu Zema (Novo-MG), Ratinho Junior (PSD-PR), Cláudio Castro (PL-RJ), Antonio Denarium (PP-RR), Ronaldo Caiado (União Brasil-GO) e Wanderlei Barbosa (Republicanos-TO).

Entre esses estados, no primeiro turno Bolsonaro só não venceu em Minas Gerais e no Tocantins. O estado chefiado por Zema é um dos maiores colégios eleitorais do país, com 16.290.870 eleitores, enquanto o governado por Barbosa tem população de 1.094.003 apta a votar.

Ciente da importância de Minas Gerais para a eleição presidencial, Bolsonaro reforçou os compromissos no estado nas últimas semanas e pediu ao eleitorado mineiro que não deixe de comparecer às urnas. No primeiro turno, o estado teve a segunda maior abstenção na eleição para presidente, quando 3.628.600 eleitores não votaram — a maior abstenção foi em São Paulo, de 7.495.213.

“Nesse momento, [quero] pedir a vocês que já vêm fazendo, e eu agradeço, empenho e dedicação para mudar voto, conseguir os indecisos, levar a vovó para votar. A eleição vai ser bastante rápida, é só um voto e o pessoal vai embora. Vamos virar o jogo. Já estamos empatados. Vamos ganhar essas eleições pela pátria, pelo Brasil, pela família e pela nossa liberdade”, afirmou o chefe do Executivo durante evento em Juiz de Fora na terça-feira (18).

Dos governadores que já se posicionaram sobre o segundo turno do pleito presidencial, Bolsonaro só não teve apoio de governantes do Nordeste, região em que Lula é o preferido. Por enquanto, o ex-presidente recebeu acenos de Elmano Freitas (PT-CE), Carlos Brandão (PSB-MA), Rafael Fonteles (PT-PI) e Fátima Bezerra (PT-RN). Também vão apoiar o petista dois governadores do Norte: Helder Barbalho (MDB-PA) e Clécio Luís (Solidariedade-AP).

Estados com segundo turno

Em 12 estados, a eleição para governador não foi resolvida no primeiro turno: Alagoas, Amazonas, Bahia, Espírito Santo, Mato Grosso do Sul, Pernambuco, Rio Grande do Sul, Rondônia, Paraíba, Santa Catarina, Sergipe e São Paulo. Nessas unidades da Federação, cinco atuais governadores estarão no segundo turno. Os outros sete ou perderam ou não disputaram o pleito deste ano.

Entre os 12 governadores, Bolsonaro tem o apoio de três: Wilson Lima (União Brasil-AM), candidato à reeleição; Reinaldo Azambuja (PSDB-MS), que está no fim do segundo mandato; e Rodrigo Garcia (PSDB-SP), que perdeu a disputa. Outros três apoiam Lula: Paulo Dantas (MDB-AL), que foi afastado pela Justiça por suspeita de corrupção, e Renato Casagrande (PSB-ES), que concorrem à reeleição, e Rui Costa (PT-BA), que está no fim do segundo mandato.

Por enquanto, não se posicionaram os candidatos à reeleição Marcos Rocha (União Brasil-RO) e João Azevêdo (PSB-PB), além de Paulo Câmara (PSB-PE), Ranolfo Vieira Júnior (PSDB-RS), Carlos Moisés (Republicanos-SC) e Belivaldo Chagas (PSD-SE).

 

r7