O governador e candidato à reeleição, João Azevêdo (PSB), participou, na noite deste sábado (22), de ato político em Cabedelo, onde o Governo da Paraíba investe mais de R$ 140 milhões em obras de infraestrutura, educação, assistência social, segurança pública, cultura, esporte e lazer, dos quais R$ 95 milhões de recursos próprios do estado são destinados à dragagem do Porto e implantação de parque de estacionamento de caminhões, cujas obras estão em pleno andamento.

João ressaltou o compromisso com Cabedelo e os investimentos na cidade. “Essa é minha casa, é minha terra e aqui fizemos o asfalto de Intermares, Praia do Poço, Jacaré, reformas de escolas, do Teatro Santa Catarina, construímos praça em Intermares, mandamos recursos para a prefeitura reformar escolas municipais e construir creche do programa Paraíba Primeira Infância. Além disso, estamos fazendo a obra da dragagem, que vai mudar o perfil do Porto de Cabedelo, permitindo a operação 24 horas por dia, colocando a cidade como entrada e saída da riqueza da Paraíba”, disse.

O gestor ainda elencou uma série de ações do governo, que tem melhorado a vida da população paraibana. “Nós somos a gestão do Opera Paraíba, do Tá na Mesa, das 177 travessias urbanas, do Hospital da Mulher, que cuidou das pessoas na pandemia, que governa para a população, tornando o estado o mais competitivo do Nordeste”, acrescentou.

O deputado estadual Ricardo Barbosa (PSB) evidenciou a importância da recondução de João ao governo. “A Paraíba precisa da operosidade de João, que faz uma gestão competente e honrada. Em nome da continuidade desse projeto e de manter Cabedelo na prioridade no governo, vamos votar no 40”, disse.

O vereador Janderson Brito (PSDB) afirmou que Cabedelo reconhecerá as obras e ações da gestão estadual no município. “Vamos demonstrar o sentimento de gratidão e respeito às pessoas. João é o governador que faz a dragagem, que representa geração de emprego e renda para nossos filhos e um futuro melhor para o nosso povo. Com João, teremos uma Paraíba cada vez melhor porque Deus quer e o povo também”, falou.