Foto: Reprodução

Bom, se você resolveu ler para saber o que aconteceu com algumas das pessoas que Lula e Dilma escolheram para fazer parte de sua equipe, respire fundo porque seu estômago pode não resistir. Pronto? Então, vamos lá:

• Aldemir Bendine, Presidente da Petrobras e do Banco do Brasil: preso

• Othon Luiz Pinheiro da Silva, Presidente da Eletronuclear: preso

• Luís Carlos Fernandes Afonso e Carlos Fernando Costa, Presidentes da Petros: presos

• Francisco das Neves, o Juquinha, Presidente da Valec, estatal responsável pelas ferrovias: preso

• Jorge Zelada, Paulo Roberto Costa, Renato Duque e Nestor Cerveró, diretores da Petrobrás: todos presos

• Armando Tripodi, Chefe de Gabinete da Presidência da Petrobrás: preso

• Guilherme Lacerda, Diretor do BNDES (aquele banco que em vez de fazer obras no Brasil, financiou porto e metrô em países de esquerda que nos deram o maior calote): preso

• Delúbio Sorares, João Vaccari Neto e Paulo Ferreira, Tesoureiros do PT: presos

• João Santana e Mônica Moura, Marketeiros do PT: presos

• Cândido Vacarezza, Líder do governo do PT na Câmara: preso

• Delcídio Amaral (PT-CE), líder do governo do PT no Senado: preso

• José Dirceu, Ministro da Casa Civil, braço direito de Lula (que disse que o PT “vai tomar o poder, o que é diferente de ganhar uma eleição”): preso

• Guido Mantega e Antonio Palocci, Ministros da Economia: presos

• João Paulo Cunha, Presidente da Câmara dos Deputados do PT: preso

• André Vargas, Vice-Presidente da Câmara dos Deputados do PT: preso

• Geddel Vieira Lima, Ministro da Integração Nacional de Lula e Vice-Presidente da Caixa Econômica Federal de Dilma (aquele que foi pego com 51 milhões de reais em dinheiro, dentro de malas e caixas em um apartamento). Adivinhe só! Isso mesmo: preso.

Esses são alguns – mas não todos – dos companheiros de Lula e Dilma que “governaram” nosso país, mas que, por condutas nada legais foram parar atrás das grades. Alguns deles foram soltos por “amigos” muito influentes, outros tiveram pena reduzida por meio de delação premiada. E outros ainda, devolveram parte do dinheiro dos pagadores de impostos que foram “subtraídos”, digamos assim.

Se for votar 13, cuidado! Os escolhidos do seu candidato podem seguir o mesmo caminho durante sua “administração”. Aí, adeus ao churrasquinho, companheiro, pois, como disse Lula em um ímpeto de sinceridade: “vai ter que comer arroz”. E olhe lá…

 

r7