Os cortes se concentrarão na organização de dispositivos da Amazon, incluindo a assistente de voz Alexa, bem como em sua divisão de varejo e recursos humanos. (Foto: Reprodução)

A Amazon planeja demitir aproximadamente 10 mil pessoas em cargos corporativos e de tecnologia a partir desta semana, disseram pessoas com conhecimento do assunto, no que seria o maior corte de empregos da história da empresa.

Os cortes se concentrarão na organização de dispositivos da Amazon, incluindo a assistente de voz Alexa, bem como em sua divisão de varejo e recursos humanos, disseram as fontes, que falaram sob condição de anonimato.

O número total de demissões permanece fluido. Mas, se ficar em torno de 10.000, representaria cerca de 3% dos funcionários corporativos da Amazon e menos de 1% de sua força de trabalho global de mais de 1,5 milhão de empregados, composta principalmente por trabalhadores horistas.

A redução planejada da Amazon justamente durante a temporada de compras de fim de ano – quando a empresa normalmente valoriza a estabilidade – mostra a rapidez com que a economia global em crise a pressionou para cortar negócios com excesso de funcionários ou entrega insuficiente há anos.

A Amazon também se tornaria a mais recente empresa de tecnologia a demitir trabalhadores. Este ano, a gigante do comércio eletrônico mais que dobrou o limite de compensação em dinheiro para seus trabalhadores de tecnologia, citando “um mercado de trabalho particularmente competitivo”.

A mudança dos modelos de negócios e a economia em desaceleração desencadearam demissões em todo o setor de tecnologia. Este mês, Elon Musk reduziu pela metade o número de funcionários do Twitter depois de comprar a empresa e, na semana passada, a Meta, controladora do Facebook e Instagram, anunciou que estava demitindo 11 mil funcionários, cerca de 13% de sua força de trabalho. Lyft, Stripe, Snap e outras empresas de tecnologia também demitiram trabalhadores nos últimos meses.

Procurado pela reportagem, Brad Glasser, porta-voz da Amazon, não quis comentar.

 

O Globo