Dia Mundial do Rádio realça atributos do veículo que liga bilhões de pessoas

Este 13 de fevereiro é o Dia Mundial do Rádio. A comemoração da data marca a criação, em 1946, da Rádio das Nações Unidas, a predecessora da ONU News.

O tema de celebração em 2024 é “Rádio: Um século informando, divertindo e educando”. As Nações Unidas enfatizam a história do veículo e o poder de impactar audiências, chegando a bilhões, com notícias, drama, música e esportes.

Mais de 20 milhões de ouvintes

Joyce de Pina é diretora da Rádio Okapi, na Missão da ONU na República Democrática do Congo, Monusco. Ela falou à ONU News, de Kinshasa, sobre a ação promovida e difundida por uma das maiores operações de paz do mundo.

Soundcloud

No ar há 22 anos, a Rádio Okapi alcança dezenas de milhões de congoleses na missão de paz comandada por um oficial do Brasil. Na Monusco, interagem dezenas de tropas brasileiras com forças do Exército e populações locais.

“Se a avó que vende no mercado nos entende, toda a gente nos entende. E num país como o Congo: enorme, com imensas discrepâncias, com um acesso ainda relativamente limitado à internet e que se localiza, principalmente, nas grandes zonas urbanas, o rádio continua a ser uma das únicas fontes de acesso à informação credível de grande parte da população. A Rádio Okapi continua nessa tradição. Existe há mais de 20 anos. No dia 25 de fevereiro vamos celebrar o nosso 22º aniversário. É uma rádio adorada pela população e com programas especiais. Nós chegamos e conseguimos reter a atenção de mais de 20 milhões de ouvintes.”

O veículo de comunicação retrata a consolidação da paz na RD Congo. Algumas contribuições importantes incluem ação em momentos de crise como a pandemia, além de promover eleições e ações pelo futuro de paz.

Plataforma de mídia mais popular

Esses valores são igualmente relevantes na nação mais nova do mundo, o Sudão do Sul. Uma das principais atrações do rádio são ouvintes-mirins que se encarregam de informar, tocar música e apresentar notícias.

Ben Malor disse que milhões de sul-sudaneses recebem sinal da Miraya através de mais de 130 emissores de rádio
Ben Malor disse que milhões de sul-sudaneses recebem sinal da Miraya através de mais de 130 emissores de rádio

Em emissão especial para pequenos e adultos, a energia infantil toma o Rádio Miraya, que é gerida pela Missão das Nações Unidas no Sudão do Sul, Unmiss. O ex-diretor de Comunicação, Ben Malor, fala da dinâmica do que chama de “maior e mais popular plataforma de mídia” para os sul-sudaneses.

Malor disse que no Dia da Criança Africana, em maio, produtores e jornalistas deixam a gestão da estação para crianças de várias escolas. Elas fazem a programação desde as primeiras horas da manhã às últimas horas da noite, algo que ele considera “fantástico de ver e ouvir”.

Em momento de conflito, milhões de sul-sudaneses recebem sinal da Miraya através de mais de 130 emissores de rádio cobrindo 70% de pessoas na nação africana.

Segurança pública e emergências

As celebrações do Dia Mundial do Rádio enfatizam o papel deste meio de comunicação em circunstâncias onde falta a segurança pública, como em emergências e falha a eletricidade por causa de desastres naturais ou atos provocados pela ação humana.

Para a ONU, o rádio é um veículo que catalisa a ligação entre grupos desfavorecidos, incluindo imigrantes, religiosos, minorias e populações atingidas pela pobreza.

A proclamação da celebração global do Dia Mundial do Rádio foi feita pela Assembleia Geral das Nações Unidas em 2013.

Rádios antigos em exposição no Chihuly Glass Museum, em Seattle, EUA
Unsplash/Rod Flores
Rádios antigos em exposição no Chihuly Glass Museum, em Seattle, EUA