Repórter alega ter sido vítima de importunação sexual por mascote do Inter

A repórter Gisele Kumpel, do “Canal Monumental”, revelou ter sido vítima de importunação sexual pelo mascote do Internacional durante o Gre-Nal no Beira-Rio no último domingo (25). A jornalista procurou a polícia após o clássico e registrou um Boletim de Ocorrência.

Gisele Kumpel compartilhou em suas redes sociais: “O Gre-Nal lamentavelmente terminou num B.O pra mim. Importunação sexual pelo mascote do Internacional. Mais um dia a mulher querendo fazer seu trabalho no futebol e sofrendo com isso com alguns idiotas que são criminosos. Vou até o fim pra que mais nenhuma mulher passe por isso.”

Em uma atualização, ela acrescentou: “Está tudo bem. Tirando o pavor, tremedeira, choradeira e incredulidade do momento, fiz o que poderia fazer, já que eliminar o fato é impossível. Agradeço a preocupação.”

O que diz o clube:

Sobre os fatos registrados no Juizado do Torcedor e Posto da Polícia Civil do Beira-Rio após o clássico deste domingo, o Internacional informa que, como habitual, disponibilizará imagens do seu circuito de monitoramento para a elucidação dos casos.

Tanto as ocorrências de arremessos de cadeiras oriundas da torcida visitante, que atingiram torcedores do Internacional, quanto a denúncia registrada por profissional da imprensa serão acompanhadas pelo Clube para a adoção das medidas cabíveis.

terra