Advogado confessa que foi ameaçado por “Toinho” da Braiscompany por causa das investigações

O advogado Artêmio Picanço, responsável pelas investigações que levou à prisão Antônio Neto e Fabrícia Ais, suspeitos de aplicar um golpe milionário em pessoas que investiram dinheiro na Braiscompany, confessou, nesta sexta-feira, (1º), que chegou a ser ameaçado de morte pelo empresário por conta das investigações que levaram a prisão dele.

Durante entrevista ao Programa Arapuan Verdade do Sistema Arapuan de Comunicação, o advogado explicou que assim que assumiu o caso prometeu a si mesmo que “Toinho” da Braiscompany não ficar impune.

Artêmio Picanço explicou que levantou toda a vida do empresário e confessou que não teve muitas dificuldades porque Antônio Neto gosta de usar as redes sociais para ostentar.

Durante as investigações, ele disse que chegou a ir Argentina para apurar os fatos com mais precisão e descobriu que o empresário chegou a morar em áreas nobres e consideradas de alto luxo em Buenos Aires.

Agora, com “Toinho” da Braiscompany” preso, o advogado disse que irá entrar com ação coletiva na Justiça para que as pessoas lesadas por ele possam ser ressarcidas. “Eu não parei com as investigações, pelo contrário, vou continuar”, garantiu o advogado.

Paraiba.com.br