Após audiência de custódia, dono de casa usada como esconderijo por fugitivos de Mossoró continua preso

O homem preso nesta segunda-feira (26) suspeito de ajudar a esconder por cerca de uma semana os dois fugitivos da Penitenciária Federal de Mossoró, no Rio Grande do Norte, passou por audiência de custódia na manhã desta terça-feira (27) e vai continuar preso por força do mandado de prisão preventiva.

A informação foi confirmada à Inter TV pelo defesa do homem, que alega inocência.

O homem preso é um mecânico de 38 anos dono de uma chácara na Zona Rural de Baraúna, município vizinho a Mossoró, onde ficava um esconderijo que a polícia encontrou na semana passada. Os investigadores ainda apontam que ele recebeu R$ 5 mil para esconder os dois fugitivos na propriedade.

Segundo o advogado, no entanto, o homem teria recebido o dinheiro da facção criminosa para repassar aos fugitivos. Em depoimento, ele disse que recebeu o dinheiro na sua conta e entregou a Rogerio da Silva Mendonça e Deibson Cabral Nascimento, ligados ao Comando Vermelho.

“Ele não teve nenhum benefício. Pelo contrário, ele teve muito prejuízo”, afirmou o advogado, que ainda alegou que o homem foi ameaçado pela organização criminosa.

Nesta segunda-feira (26) o ministro Ricardo Lewandowski afirmou que as buscas pelos fugitivos seguem e os investigadores acreditam que eles continuam na região. “Imaginamos que eles ainda estejam na cercania, nas proximidades”, afirmou.

A dupla fugiu da unidade prisional no dia 14 de fevereiro. Foi a primeira fuga registrada no sistema penitenciário federal, que conta com cinco estabelecimentos.

Quinta prisão
Essa foi a quinta prisão efetuada ao longo das investigações da fuga dos dois presidiários, os criminosos Rogerio da Silva Mendonça e Deibson Cabral Nascimento.

Na semana passada a Polícia Federal já havia prendido três pessoas no Rio Grande do Norte e no Ceará também suspeitas de ajudar os dois fugitivos.

Ceara noticias