Médica é investigada por falsificar laudos de câncer de pele

A médica dermatologista Carolina Biscaia foi alvo de mandados de busca e apreensão em Pato Branco, no Paraná, por suspeita de falsificar laudos de câncer de pele a pacientes. Assim, cobrar por procedimentos para extração do falso câncer.

A operação ocorreu na na última sexta-feira, 23, mas só foi divulgada pela polícia na quinta-feira, 29. Nesta sexta, 1º, o delegado Helder Andrade deu mais informações à imprensa. Segundo ele, uma das vítimas chegou a pagar R$ 13 mil em procedimentos após receber o falso laudo.

“Após a busca e apreensão, nós já recebemos quatro novas vítimas. Nós temos nove vítimas no total. Algumas vítimas foram lesionadas, tanto fisicamente quanto monetariamente. Algumas pagaram R$ 10 mil, R$ 5 mil, chegou vítima a pagar R$ 13 mil, dependendo dos procedimentos que foram realizados”, afirmou.

Como médica atuava
A investigação mostrou que as vítimas procuravam a médica para consultas dermatológicas e eram informadas de que algumas pintas presentes no corpo tinham características de câncer. Assim, era retirada uma amostra para ser examinada no laboratório de patologias.

Na sequência, a médica informava a necessidade da paciente retornar ao consultório, em virtude de o laudo de exame constatar que a vítima estaria com câncer. Em uma nova consulta, ela mostrava um laudo que indicava a presença da doença e realizava o procedimento de ampliação de margens, cobrando os valores pertinentes.

A falsificação foi descoberta porque algumas vítimas buscaram o laboratório onde foram feitos os exames e receberam os laudos originais, nos quais não havia presença da doença.

“As investigações continuam. Foram recolhidos computadores, celulares e também diversos documentos no consultório médico, que agora estão a cargo da perícia. Nós estamos aguardando o laudo pericial para juntar todas as evidências e encaminhar para o Poder Judiciário e o Ministério Público para a continuidade do procedimento”, complementou o delegado Helder Andrade.

O Terra entrou em contato com a Dermatto Clínica, onde a médica atende, e não obteve retorno até o momento. Carolina Biscaia também apagou o seu perfil no Instagram e a reportagem não conseguiu o contato de sua defesa para pedir um posicionamento. O espaço segue aberto para manifestações.

O Conselho Regional de Medicina do Paraná (CRM-PR) disse, em nota, que irá instaurar procedimento sindicante para apurar denúncia de possível desvio ético cometido pela referida médica. O trâmite ocorre sob sigilo.

terra