Polícia Civil de SP investiga deputado Tiririca por importunação sexual

A Polícia Civil de São Paulo investiga um caso de importunação sexual envolvendo o deputado Francisco Everardo Oliveira Silva (PL-SP), conhecido como Tiririca. Na segunda-feira, 4, um homem de 39 anos registrou um boletim de ocorrência contra o parlamentar. O caso teria ocorrido na quinta-feira, 29, na portaria de um condomínio na Vila Olímpia, na zona sul da capital paulista.

Segundo o documento, a vítima prestando serviço de manutenção no edifício quando um desconhecido, acompanhado de uma mulher, se aproximou dele e “lhe desferiu uma ‘dedada’ na região das nádegas, por sobre a calça”. O prestador de serviço relatou à polícia que se sentiu humilhado com o episódio, visto que os presentes no local riram da agressão.

Após o episódio, o prestador de serviços soube que o agressor se tratava do deputado federal Tiririca. Ele foi orientado por sua advogada a fazer um boletim de ocorrência. O caso foi registrado como importunação sexual no 27º Distrito Policial (DP), de Campo Belo, e encaminhado para o 96º DP, de Monções. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública do Estado, diligências estão em andamento para esclarecer o ocorrido.

O Estadão telefonou e mandou mensagens para o deputado Tiririca nesta terça-feira, 5, porém o parlamentar não retornou aos contatos. O espaço segue aberto para eventuais esclarecimentos.

Eleito pela primeira vez nas eleições de 2010, Tiririca está em seu quarto mandato consecutivo na Câmara dos Deputados. No pleito de 2022, o parlamentar declarou que desistiria da candidatura caso perdesse o seu número de urna para o deputado Eduardo Bolsonaro (PL-SP). A troca de número ocorreu, porém Tiririca participou da disputa mesmo assim.

terra