Comissão mais importante da Câmara fica com deputada bolsonarista

Costura atende a acordos firmados por Lira na sua reeleição ao comando da Casa. Comissões discutem projetos que tramitam na Casa e receberão R$ 11 bilhões em emendas em 2024.

A Câmara dos Deputados começou a instalar nesta quarta-feira (6) as 30 comissões permanentes da Casa. Também foram eleitos os novos presidentes dos colegiados.

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), a mais importante, será comandada pela deputada Caroline de Toni (PL-SC), alinhada ao ex-presidente Jair Bolsonaro. Ela foi eleita com 49 votos.

“Será uma gestão com transparência e equilíbrio ouvindo a todas as bancadas e respeitando o princípio da proporcionalidade, o que deve se repetir na pauta. Os parâmetros da nossa atuação serão estabelecidos na Constituição Federal e no regimento interno da Câmara dos Deputados. Nesse ponto, não vou querer metas de produtividade na CCJ, mas conforme os pleitos da sociedade”, disse Caroline.

Já o PT vai comandar a comissão da Saúde, que terá R$ 4,5 bilhões em emendas parlamentares neste ano. O presidente do colegiado será o deputado Dr. Francisco (PT-PI).

A instalação ocorreu após uma série de reuniões entre o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), e líderes partidários, na tentativa de resolver impasses sobre as presidências dos colegiados.

A costura atende aos acordos firmados por Lira na sua reeleição ao comando da Casa, em 2023, e acena para a construção de apoios para a sucessão em 2025.

Durante a tarde desta quarta, minutos antes da primeira rodada de instalações, as reuniões foram paralisadas por divergências sobre as últimas escolhas para os comandos de colegiados.

A base governista reagiu à escolha, pelo PL, do deputado Nikolas Ferreira (PL-MG) para o comando da Comissão de Educação (veja mais abaixo).

G1